Alemanha distribui 300 euros por cada filho para famílias superarem a crise

A ajuda do governo da chanceler Angela Merkel aplica-se a todas as famílias, independentemente dos rendimentos, e acumula ao abono. O objetivo é apoiar as famílias e estimular o consumo. O dinheiro começa a chegar aos pais alemães nesta segunda-feira.

Os pais de todas as crianças que vivem na Alemanha - cerca de 18 milhões - vão receber 300 euros por criança diretamente do Estado e a distribuição do dinheiro começa nesta segunda-feira. É uma das várias medidas - já anunciadas em junho - do governo de Angela Merkel para combater a crise económica provocada pela pandemia e tem como objetivo promover o consumo, enquanto presta uma ajuda às famílias.

Esta prestação única é paga em duas fases: 200 euros em setembro e mais 100 em outubro. Não é necessário requerer o abono de família, o dinheiro será recebido por todas as crianças registadas em solo alemão. É pago automaticamente em conjunto com o abono, cujos valores na Alemanha ascendem a 192 euros mensais, no mínimo, por filho. Todas as crianças que tiverem recebido este benefício social há pelo menos um mês recebem automaticamente o chamado "bónus do coronavírus".

Segundo uma sondagem encomendada pelo Institute for the German Economy (Instituto para a Economia Alemã), 61% dos beneficiários querem gastar o bónus no totalidade ou parcialmente: 24% dos entrevistados afirmam que gastarão integralmente o apoio, 37% admitem gastá-lo parcialmente e 39% pretendem economizar o bónus na totalidade.

Este auxílio é concedido a todas as crianças independentemente do rendimento dos pais. No final do ano, entrará no cálculo dos impostos, de forma que quanto maior o rendimento das famílias mais impostos terão de pagar pela ajuda recebida. Mas o Ministério das Finanças calculou que oito em cada dez famílias podem beneficiar plenamente da ajuda. Um casal com três filhos e com rendimento anual até cerca de 67 800 euros não terá de pagar impostos sobre esse dinheiro, por exemplo. No caso de pais com apenas um filho e renda anual de 86 000 euros, quando fizerem a declaração de imposto de rendimentos de 2020 certamente irão pagar.

"Vai servir para mitigar as novas necessidades das famílias, que agora enfrentam novos gastos, como aquisição de máscaras e gel desinfetante, e têm de suportar períodos em que as crianças ficam em casa em vez de irem à escola", justifica Katharina Spieb, especialista em família do Instituto Alemão de Estudos Económicos, para quem o apoio "não atenderá a todas as necessidades, mas será uma ajuda e, ao mesmo tempo, estimulará o consumo das famílias, que devido à incerteza económica estão a economizar mais do que o normal, atitude que não contribui para o dinamismo da economia".

O Institute for the German Economy estima que cerca de 2300 milhões de euros do total de 4300 milhões que serão distribuídos vão fluir rapidamente para o consumo, pelo que as empresas também serão beneficiadas. Segundo a Fundação Hans Bockler, esta é uma medida que terá maiores efeitos na economia do que a redução do IVA.

Não é uma medida nova na Alemanha. Em janeiro de 2009, o governo alemão já implementou um surpreendente pacote de estímulo económico que incluiu medidas diretas para famílias com crianças.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG