RTP cria plataforma dedicada aos videojogos

A estação pública desenvolveu uma plataforma, a RTP Arena, para transmitir competições nacionais e internacionais de gaming

A partir da próxima sexta-feira, 29 de abril, a comunidade de fãs e jogadores de videojogos vai contar com uma nova plataforma, a RTP Arena, inteiramente dedicada aos eSports (Electronic Sports), uma estrutura de competições online em que múltiplos jogadores se defrontam em jogos de vídeo organizados em plataformas online que permitem a emissão em direto e em diferido, fóruns e chats entre as comunidades de gamers.

Além dos campeonatos nacionais e internacionais, a nova plataforma da estação pública também terá tutoriais e reportagens com os melhores jogadores do mundo. O RTP Arena vai agrupar os conteúdos dos campeonatos de League of Legends - um dos jogos online mais jogados no mundo -, incluindo a transmissão em direto do campeonato nacional, e disponibilizar aos utilizadores um chat em tempo real. Apesar de existir essencialmente no digital, a aposta da RTP nos jogos virtuais também terá lugar na televisão. Um magazine de 25 minutos sobre o universo dos eSports a nível nacional e internacional será transmitido semanalmente, a começar amanhã, pelas 01.00, na RTP1.

O mercado global de eSports e a cultura de jogos eletrónicos tem vindo a crescer de ano para ano. Atualmente, no mundo, o mercado está avaliado em 442 milhões de euros, com 150 milhões de espectadores por evento ao vivo e dezenas de milhões via web. Há eventos que chegam a reunir mais de 40 mil pessoas num recinto para assistirem ao vivo. Em Portugal, depois da música e da comédia, os videojogos assumem-se como os contéudos mais procurados no YouTube. Além da comunidade gastar em média 400 euros por ano em equipamento e acessórios informáticos, já conta com 25 mil jogadores em competição, 45 mil fãs no canal League of Legends, quase 14 milhões na página de Facebook e os streams em direto têm, em média, 10 mil espectadores em simultâneo. Não há ainda qualquer referência aos outros jogos que não serão esquecidos na RTP Arena, mas promete ser um novo site de culto para os gamers.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.