Rússia pede contenção no conflito entre Israel e Jihad Islâmica palestiniana

Rússia diz estar "profundamente preocupada" com "a deplorável situação humanitária em Gaza".

A Rússia afirmou estar "profundamente preocupada" com a violência desencadeada na Faixa de Gaza, que já provocou pelo menos 12 mortos, e pediu "máxima contenção" a Israel e à Jihad Islâmica da Palestina.

"Observamos com profunda preocupação o desenvolvimento dos eventos, que podem levar à retoma do confronto militar em grande escala e agravar ainda mais a já deplorável situação humanitária em Gaza", disse a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakharova.

A porta-voz pediu ainda "a todas as partes envolvidas para exercerem a máxima contenção" a fim de evitar uma escalada do conflito.

De acordo com Zakharova, "a nova tensão foi causada por uma operação da força aérea israelita na Faixa de Gaza, [lançada] em 05 de agosto, à qual os grupos palestinianos responderam com bombardeamentos em massa e indiscriminados ao território israelita".

O exército de Israel avisou este sábado que está a preparar-se para manter e intensificar os ataques à Jihad Islâmica na Faixa de Gaza durante "uma semana".

Segundo o exército israelita, o seu ataque já matou 15 combatentes palestinianos, enquanto as autoridades de Gaza referem a existência de 13 mortos, incluindo uma menina de 5 anos, e mais de 100 feridos.

Este é o pior confronto entre o Estado judeu e organizações armadas em Gaza desde a guerra de 11 dias em maio de 2021, que provocou 260 mortos do lado palestiniano e 14 em Israel.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG