Putin diz que se vive um 'primeiro passo para o genocídio' no leste da Ucrânia

Presidente russo afirma que as populações russas ou que falam russo estão a ser discriminadas e aceitou a comparação com o Holocausto.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou esta quinta-feira que os moradores do leste da Ucrânia, centro de novas tensões entre seu país e o Ocidente, sofrem uma discriminação que é o "primeiro passo para um genocídio".

"Tenho de falar da russofobia como primeiro passo para o genocídio. Isso é o que está a ocorrer neste momento em Donbass [região do leste da Ucrânia]; podemos vê-lo, sabemos disso. E isto de facto assemelha-se com o genocídio que referiu", disse Putin a um jornalista durante uma reunião com o Conselho Presidencial para os Direitos Humanos.

O jornalista em causa, Kirill Vychinsky, que esteve preso entre 2018 e 2019 na Ucrânia, afirmou que "os falantes de russo e membros do povo russo" em Donbass estão a sofrer "condições de vida insuportáveis", tendo comparado a situação com o Holocausto.

Estas declarações de Putin ocorrem no meio a tensões com os países ocidentais em relação à Ucrânia. O Ocidente acusa Moscovo de concentrar dezenas de milhares de tropas na fronteira com vistas a um possível ataque, o que a Rússia nega.

Há sete anos, a região sofre com uma guerra entre Kiev e os separatistas pró-russos. O conflito deixou mais de 13.000 mortos e uma solução política, prevista nos acordos de Minsk de 2015, está em ponto morto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG