Polícia investiga festas em Downing Street durante o confinamento

Enquanto o Reino Unido estava em confinamento foram realizadas várias festas em Downing Street, nas quais Boris Johnson esteve também presente.

A polícia britânica anunciou esta terça-feira que está a investigar as presumíveis festas organizadas em Downing Street durante os períodos de confinamento impostos no âmbito da pandemia, situação que está a colocar sob forte pressão o primeiro-ministro Boris Johnson.

"A Met está agora a investigar uma série de eventos que ocorreram em Downing Street e Whitehall nos últimos dois anos em relação a possíveis violações dos regulamentos da Covid-19", disse a comissária da Polícia Metropolitana Cressida Dick.

Alegações de que uma série de festas foram realizadas em Downing Street enquanto o resto do país estava em confinamento abalaram o governo de Johnson nas últimas semanas, provocando a pior crise do seu cargo de primeiro-ministro e a vários pedidos para que ele renuncie.

As últimas revelações vieram na noite de segunda-feira: Boris Johnson terá quebrado as regras do confinamento ao fazer uma festa de aniversário em Downing Street em 19 de junho de 2020.

Cerca de 30 pessoas estavam presentes, alegou a ITV News. Na altura, as reuniões sociais eram permitidas apenas entre seis pessoas.

"Devo enfatizar que o facto de estarmos a investigar agora não significa, claro, que serão necessariamente emitidas multas em todos os casos e a todas as pessoas envolvidas", vincou a responsável, durante uma audiência da Comissão de Polícia e Crime da Assembleia Municipal de Londres.

"Não faremos comentários sobre nossas investigações atuais. Mas posso garantir que daremos atualizações em pontos significativos, como geralmente faríamos."

Uma funcionária pública sénior, Sue Gray, também está a conduzir uma investigação sobre a série de alegações e deve publicar sua investigação em breve.

Surgiu a especulação de que ela teria que parar a sua investigação se a polícia se envolver.

Mas um porta-voz do Cabinet Office disse: "A investigação que está a ser realizada por Sue Gray continua. Há um contacto contínuo com o Serviço de Polícia Metropolitana".

Entende-se que a investigação de Gray inclui as alegações sobre a festa de aniversário de 19 de junho de 2020 para Boris Johnson.

A notícia soma-se a relatos e alegações de dezenas de outras "festas" ou eventos sociais em 2020 e 2021 em Downing Street, violando as restrições impostas para travar a pandemia de covid-19.

O escândalo conhecido por "partygate" causou uma onda de indignação, já que muitas pessoas ficaram impossibilitadas de acompanhar familiares e próximos que morreram ou que estavam doentes ou sozinhos.

Sondagens mostram uma queda na popularidade de Boris Johnson, de 57 anos, eleito em 2019 com uma maioria absoluta histórica graças à promessa de concretizar o 'Brexit' (processo de saída do Reino Unido da União Europeia).

Até agora, Boris Johnson escapou a uma moção de censura no Partido Conservador, aguardando-se esta semana o resultado de um inquérito interno às festas.

O conhecido ex-assessor de Boris Johnson, Dominic Cummings, recusou-se a ser interrogado como parte desta investigação, preferindo testemunhar por escrito.

Cummings, que lança regularmente ataques contra o líder conservador desde a demissão no final de 2020, avisou que "outras histórias prejudiciais" irão surgir caso o primeiro-ministro não renunciar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG