Acidente de autocarro na Bulgária faz 46 mortos, 12 são crianças. "Isto é uma tragédia"

O autocarro de passageiros vinha de Istambul em direção a Skopje e transportava cidadãos da Macedónia do Norte.

Pelo menos 46 pessoas morreram esta madrugada na Bulgária num acidente de autocarro que transportava cidadãos da Macedónia do Norte. Entre as vítimas mortais estão 12 menores, indicaram as autoridades.

O acidente ocorreu na autoestrada perto da aldeia de Bosnek, 40 quilómetros a sul de Sófia, disse o comissário Nikolay Nikolov, chefe do serviço de controlo de catástrofes, na televisão estatal BNT.

"Sete passageiros foram resgatados" e transportados para um hospital na capital, acrescentou.

A causa do acidente não foi ainda determinada, mas as autoridades acreditam que um incêndio deflagrou no veículo que depois embateu num separador da autoestrada. O autocarro vinha de Istambul em direção a Skopje.

"Infelizmente, há muitas vítimas, 46, incluindo 12 menores", disse o ministro da Saúde da Macedónia do Norte, Venko Filipce, à BNT.

Entre as vítimas mortais estão pessoas de várias nacionalidades, incluindo um cidadão belga, avança a agência de notícias AFP.

Duas mulheres, entre as quais uma menor de 16 anos, e cinco homens conseguiram sobreviver ao acidente. O governante referiu que são membros da mesma família.

O primeiro-ministro interino da Bulgária, Stefan Yanev, já fez saber que foi aberta uma investigação sobre o acidente.

"É uma grande tragédia ... 12 (vítimas) têm menos de 18 anos e o resto são jovens entre os 20 e os 30 anos", disse o primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Zoran Zaev, à agência de notícias estatal MIA.

Zaev disse que falou com um sobrevivente que lhe contou que "estavam a dormir no autocarro quando ouviram uma explosão". "Conseguiram partir uma das janelas e salvar algumas pessoas". Infelizmente, os restantes passageiros não conseguiram sobreviver.

"Isto é uma tragédia. Não sabemos se todas as vítimas são da Macedónia do Norte, mas assumimos que sim porque o autocarro está registado no país", disse o primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Zoran Zaev, numa entrevista à Nova TV.

Notícia atualizada às 10:10

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG