Pedro Passos Coelho

Seis anos de Estratégia Nacional

Prevenção do terrorismo. Plano aprovado às escondidas e sem ações

A secretária-geral do Sistema de Segurança Interna diz que aprovou em 2017, com as polícias e as secretas, um plano para prevenir o recrutamento extremista e terrorista, mas nunca disso deu nota pública, nem ao parlamento. Especialistas em Segurança mostram-se surpreendidos. Desconhecem-se consequências e ações no terreno, coordenadas por esta estrutura.

Paulo Baldaia

O ano do Coelho

Tendo Pedro Passos Coelho aparecido em cerimónia de homenagem a um empresário com um discurso escrito em que nada se destacou da dita homenagem ao dito empresário, logo apareceram milhares de órfãos à direita suspirando pelo regresso de um líder que, testado na oposição, sofreu uma das derrotas mais pesadas do PSD, nas autárquicas de 2017, valendo pouco mais de metade dos votos do rival PS. Foi por isso que teve de ceder a liderança a Rui Rio, por mais que os passistas tudo tivessem feito por outro regresso, o de Santana Lopes.

Paulo Baldaia

Rioísta me desconfesso

Confessamos pecados, praticados em atos, pensamentos e omissões, e transportamos para o domínio público o que tínhamos até então guardado em segredo, mais ou menos, disfarçado. Foi o que fiz em agosto de 2013, neste mesmo jornal, em artigo a que dei o título "Rioísta me confesso". Nesse texto, tornei público o que era evidente para a maioria das pessoas (jornalistas e amigos) que comigo partilhavam o dia-a-dia profissional, mas também para os que me lessem ou ouvissem com alguma regularidade: eu vejo em Rui Rio uma forma diferente de estar na política.