Premium Miguel Duarte

A União Europeia assiste, desde 2015, à maior crise humana desde a Segunda Guerra Mundial. Há quatro anos que, diariamente, acorrem a este continente pessoas nas mais míseras condições, que fogem da guerra e de todas as suas consequências: pobreza extrema, perseguições, a impossibilidade de continuarem a viver em segurança.

Todos nós, europeus e portugueses, temos sido interpelados pelos dramáticos relatos que nos têm chegado ao longo dos últimos anos, tendo a imagem de Aylan Kurdi, a criança de 3 anos encontrada morta à beira-mar, sido um dos maiores alertas para a brutalidade desta realidade.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG