Dois remates para Ronaldo e João Félix, mas CR7 esteve mais em jogo

Os dois internacionais portugueses não foram decisivos nas suas equipas, mas o avançado da Juventus acabou por ter uma participação mais positiva nas ações da equipa do que o jovem jogador do Atlético de Madrid.

O Atlético de Madrid-Juventus acabou empatado 2-2 no jogo de estreia de ambas as equipas na fase de grupos da Liga dos Campeões, mas no duelo entre os portugueses, Cristiano Ronaldo acabou por estar mais em jogo do que João Félix, embora nos 90 minutos ambos tenham acabado com dois remates enquadrados com as balizas.

Segundo os dados da empresa de estatística Goalpoint, pode concluir-se que nenhum deles fez um jogo brilhante, embora Ronaldo registe uma melhor pontuação 5.7, contra 4.7 do avançado do Atlético, numa escala de 0 a 10. A estrela da Juventus acabou por ser mais acertivo nas suas ações com bola, sobretudo no capítulo do passe, onde registou um acerto de 90,5%, contra os 82,6% de João Félix, que até teve menos tentativas de passe (23 contra 42).

Ronaldo teve 60 ações com bola, o que mostra bem o seu envolvimento no jogo da Juventus, ao passo que o ex-benfiquista apenas contabilizou 37, tendo em perdido a posse da bola em 21,6% das vezes. Já o madeirense apenas perdeu a posse em 18,3% das suas ações.

A eficácia de passe também foi favorável a Ronaldo, uma vez que acertou 95,5% das 32 tentativas de passe que protagonizou, contra os 82,6% de Félix nas 23 tentativas de entregar a bola aos companheiros, com a agravante de ter falhado quatro passes curtos, três deles ainda no seu meio-campo. Refira-se ainda Ronaldo fez três passes progressivos (a mais de 15 metros de distância) certos, enquanto Félix apenas teve sucesso numa dessas ações.

Ronaldo destacou-se ainda nos dribles, pois teve sucesso nos quatro que protagonizou, enquanto João Félix falhou um dos três dribles tentados. Contudo, o avançado de 19 anos mostrou um bom índice nos duelos aéreos, tendo ganho dois em três, enquanto CR7 perdeu o único de disputou.

Nenhum deles participou em ações defensivas, embora tenham estado ativos no remate à baliza, pois o jogador do Atlético de Madrid rematou cinco vezes, duas delas para defesa do guarda-redes Szczesny, enquanto o melhor marcador da história da Liga dos Campeões tentou o golo em três ocasiões, com duas delas a serem paradas por Jan Oblak.

Contudo, no que diz respeito a ocasiões de golo, João Félix dispôs de um indice melhor (0,52), embora isso traduza uma maior ineficácia nas oportunidades que teve. Já Ronaldo ficou-se pelos 0,16, resultado das poucas oportunidades de que dispôs durante os 90 minutos.

Em jeito de conclusão, os dois internacionais portugueses acabaram por ter participações mais modestas do que seria de esperar nesta partida, embora Ronaldo possa ter beneficiado da subida de rendimento da sua equipa na segunda parte, que lhe permitiu chegar a uma vantagem de 2-0. João Félix esteve mais ativo no primeiro tempo, altura em que teve os seus dois remates enquadrados, tendo no segundo tempo passado um pouco ao lado do estilo de jogo, um pouco em desespero, do Atlético na tentativa de evitar a derrota.

Confira dos dados do Goalpoint:

JOÃO FÉLIX (4.7)
Minutos jogados: 90
Ações com bola: 37
Posses de bola perdidas: 21,6%
Remates: 5 (2 enquadrados)
Tentativas de passe: 23
Passes para finalização: 0
Eficácia de passe: 82,6%
Passes progressivos certos: 1
Dribles: 2 (3 tentativas)
Duelos aéreos ganhos: 2 (3 disputados)
Ações defensivas: 0

CRISTIANO RONALDO (5.7)
Minutos jogados: 90
Ações com bola: 60
Posses de bola perdidas: 18,3%
Remates: 3 (2 enquadrados)
Tentativas de passe: 42
Passes para finalização: 0
Eficácia de passe: 80,5%
Passes progressivos certos: 3
Dribles: 4 (4 tentativas)
Duelos aéreos ganhos: 0 (1 disputados)
Ações defensivas: 0

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG