Vice-almirante. Centro de vacinas da Unilabs "não tem a nossa confiança para voltar a funcionar"

Gouveia e Melo afirmou que os meios da Unilab "estiveram um dia e meio a inocular" vacinas sobre as quais não se conhecem as condições. Se estavam estragadas, por exemplo. E em cima disto ainda demorou "mais de 24 horas" até a task force ser informada do problema.

O centro de vacinação covid-19 operado pela empresa Unilabs no Porto (no espaço do Queimódromo), o único no país que é gerido por privados, esteve a administrar vacinas de qualidade muito duvidosa "durante um dia e meio" e quando o problema foi detetado, já tardiamente, ocorreu uma demora adicional de "mais de 24 horas" até a task-force da vacinação ser notificada, declarou o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, ao Porto Canal, esta quarta-feira.

Posto isto, o chefe máximo da task-force diz que o espaço da Unilabs não tem condições para trabalhar, pelo menos até ao fim do inquérito.

Leia a notícia completa no Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG