Ramiro Sequeira é novo CEO interino da TAP

O governo já escolheu quem vai liderar os destinos da TAP até ser encontrado um novo CEO. Ramiro Sequeira era até aqui COO da companhia.

Ramiro Sequeira é o nome escolhido por Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, para suceder a Antonoaldo Neves aos comandos da TAP, avança o Eco e o Expresso. Ramiro Sequeira, desde 2018 Chief Operating Officer (diretor de operações) da TAP, tem experiência no mundo da aviação. Antes de integrar os quadros da companhia aérea nacional, esteve mais de uma década no grupo IAG (composto pela espanhola Ibéria e britânico British Airways).

Contactada pelo Dinheiro Vivo, a ANAC diz que ainda não foi remetido pelo acionista maioritário qualquer nome, pelo que não se pronuncia.

No início de julho, quando o governo confirmou em conferência de imprensa que ia comprar a posição de David Neeleman no consórcio Atlantic Gateway, ficando com uma participação na TAP na casa dos 72%, Pedro Nuno Santos admitiu que a TAP iria ter uma nova comissão executiva e que, em breve, o CEO - Antonoaldo Neves - iria ser substituído. Quase um mês depois, o substituto de Antonoaldo Neves é conhecido e é um funcionário da casa: Ramiro Sequeira.

Apesar de ir ter meses difíceis pela frente, o gestor não será uma escolha para o futuro. Na conferência de imprensa de 2 de julho, o ministro das Infraestruturas indicou que o Estado ia contratar uma empresa internacional de recursos humanos para selecionar um nome para a liderança da TAP.

"Não há nenhuma razão para que o governo não escolha como um acionista privado. O que o Estado tem de fazer na TAP é adoptar procedimentos profissionais de escolha das equipas de gestão. Contrataremos uma empresa para procurar gestores", afirmou então Pedro Nuno Santos.

"Faremos um processo de seleção contratando uma empresa que tem no quadro da sua atividade procurar no mercado internacional uma equipa qualificada para gerir a TAP", enfatizou. Até porque "a TAP precisa de uma gestão qualificada e a TAP terá uma gestão qualificada". O processo de seleção demorará certamente semanas, pelo que, deverá ser encontrada uma equipa transitória para liderar os destinos da transportadora. "No imediato, o CEO da TAP terá de ser substituído", disse o ministro.

Jornalista do Dinheiro Vivo

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG