Mobilidade urbana acelera hoje em Cascais rumo ao futuro

O maior evento de mobilidade urbana junta hoje e amanhã mais de 60 oradores nacionais e internacionais na Nova SBE, em Carcavelos

Hoje e amanhã todos os caminhos vão dar ao Portugal Mobi Summit, seja de carro, Uber, comboio, bicicleta, carsharing ou trotineta. A cimeira internacional que decorre na Nova School of Business & Economics, em Carcavelos, é o maior evento de mobilidade urbana em Portugal e traz a Cascais mais de 60 oradores de topo nestas temáticas, entre especialistas, empresários de vanguarda, responsáveis do Governo e da União Europeia para discutir o futuro da mobilidade, das cidades inteligentes e de um mundo mais sustentável.

Disso são exemplos as intervenções do ministro do Ambiente e Ação Climática, João Matos Fernandes, ou da diretora-geral para a Mobilidade da Comissão Europeia, Joanna Drake e de altos responsáveis de empresas como a Volkswagen, Uber, PTV, EDP, Via Verde, CeiiA ou dos municípios de Cascais, Lisboa ou Bergen. Mas também dos mais jovens e arrojados engenheiros e futuristas internacionais neste desafio gigante que é pensar o futuro das cidades na ótica das pessoas e do ambiente.

Hoje e amanhã todos os caminhos vão dar ao Portugal Mobi Summit, seja de carro, Uber, comboio, bicicleta, carsharing ou trotineta. A cimeira internacional que decorre na Nova School of Business & Economics, em Carcavelos, é o maior evento de mobilidade urbana em Portugal e traz a Cascais mais de 60 oradores de topo nestas temáticas, entre especialistas, empresários de vanguarda, responsáveis do Governo e da União Europeia para discutir o futuro da mobilidade, das cidades inteligentes e de um mundo mais sustentável.

Disso são exemplos as intervenções do ministro do Ambiente e Ação Climática, João Matos Fernandes, ou da diretora-geral para a Mobilidade da Comissão Europeia, Joanna Drake e de altos responsáveis de empresas como a Volkswagen, Uber, PTV, EDP, Via Verde, CeiiA ou dos municípios de Cascais, Lisboa ou Bergen. Mas também dos mais jovens e arrojados engenheiros e futuristas internacionais neste desafio gigante que é pensar o futuro das cidades na ótica das pessoas e do ambiente.

Uma cidade sem carros ainda é uma utopia? E o hidrogénio? Quanto tempo vai levar a transição do motor a combustão para a verdadeira mobilidade limpa do hidrogénio? E como usar a tecnologia para criar cidades mais inteligentes, mas também ética e socialmente mais justas? A Europa está preparada para uma transição energética responsável, assumindo maiores custos com impostos nos veículos e combustíveis? Conheça de perto, contados na primeira pessoa, exemplos do que está a ser feito e sonhado, nestes e noutros domínios pelo mundo fora, da Finlândia ao Japão, no palco do Portugal Mobi Summit.

E porque a nova mobilidade também pode ser encarada como a celebração de uma nova era, o Portugal Mobi Summit vai abrir-se ao público e às famílias. No fim de semana, o Passeio Marítimo de Carcavelos vai ser o palco de uma série de experiências de mobilidade para miúdos e graúdos. Vai ser possível fazer test-drives com carros elétricos e conhecer, pela primeira vez em Portugal, o novo VW ID, elétrico da marca alemã. Sábado e domingo, desde as 11h, stands da EDP, Brisa/Via Verde, Câmara de Cascais, entre outros, prometem informação e diversões para quem quer pedalar para a nova mobilidade. A EDP enquanto operador de mobilidade elétrica tem vindo a desenvolver soluções que facilitam a vida dos utilizadores de veículos elétricos, como a aplicação EV.X para smartphones e a Câmara de Cascais é pioneira na adoção de um sistema de mobilidade integrada, o MobiCascais, que integra várias soluções de transporte no passe, com lugar para as bicicletas. A Via Verde/Brisa tem, por seu turno, um dos mais bem sucedidos serviços de carsharing em Portugal, o Drive Now, abrindo caminho às novas tendências da mobilidade partilhada.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.