Mais de 768 mil. Lisboa bate recorde de venda de passes em outubro

Área Metropolitana de Lisboa vendeu 768 265 passes em outubro, superando o máximo de setembro. Realizaram-se 61,7 milhões de viagens.

Seis meses depois do início, os novos passes a 40 euros continuam a atrair utentes na AML - Área Metropolitana de Lisboa. Em outubro, foram vendidos 768 265 títulos de transporte deste género. Este número supera os 723 904 passes vendidos no mês anterior - que já tinha sido recorde -, segundo os dados divulgados esta segunda-feira pela AML. No último mês, registaram-se 61,7 milhões de viagens válidas.

"Os novos passes Navegante representam 94% dos passes vendidos na área metropolitana de Lisboa, correspondendo 60% dessas vendas ao passe Navegante Metropolitano - passe a 40 euros para todos os transportes dentro da AML -, 17% ao Navegante Municipal - passe a 30 euros para todos os transportes dentro de um concelho - e 14% ao passe para idosos", detalha a entidade liderada por Fernando Medina.

O Navegante Família também está a conquistar cada vez mais utilizadores, representando já 3% da venda de todos os passes. Há 22 284 pessoas, de 5775 agregados familiares, que já beneficiam do passe para três ou mais pessoas a um preço máximo de 60 ou 80 euros, conforme se as viagens forem dentro de um concelho ou para toda a AML.

Na região de Lisboa, também aumentaram os passageiros nos transportes públicos. Foram registados 61,752 milhões de validações em outubro, superando os números de abril - 56,293 milhões de validações no sistema. No último mês, "86% dos passageiros transportados utilizaram títulos do tipo passe, e apenas 14% títulos ocasionais".

Nos primeiros seis meses depois da introdução dos novos passes, houve mais 52,4 milhões de validações nos transportes públicos da AML, mais 19,8%, em média, face ao mesmo período de 2018.

Comboio com maior aumento de procura

Os passageiros desta região utilizam mais o autocarro para as deslocações - representam 48% das viagens -, seguindo-se o metropolitano, com 30%; o comboio, com 19%, e o barco, com 3%. A AML, no entanto, assinala que o transporte ferroviário registou um aumento de procura de 39% em outubro deste ano face ao mesmo mês do ano passado.

Só na Fertagus, o aumento de passageiros foi de 20%. Na CP, também verifica-se maior procura dos utentes nas linhas suburbanos. A Fertagus, contudo, foi a única empresa que reforçou a oferta, com o reforço dos comboios com oito carruagens, na hora de ponta, e o aumento das viagens entre Roma-Areeiro e Setúbal.

Diogo Ferreira Nunes é jornalista do Dinheiro Vivo

Exclusivos