Grupo dono da Zara alarga venda online a todo o mundo em 2020

Dentro de dois anos, todas as lojas do mundo do grupo Inditex vão ter um stock integrado, ou seja o que existe nos estabelecimentos passa a estar também disponível para compra na internet

O objetivo é ambicioso e o grupo dono da Zara quer começar a implementá-lo dentro de dois anos. Em 2020, a Inditex quer alargar a venda online em todas as suas lojas no mundo. Ou seja, todos os estabelecimentos das marcas do grupo, que incluem também Stadivarius, Bershka, Massimo Dutti, Pull & Bear e Uterqüe vão ter também disponível a compra pela internet, mesmo nos "mercados em que não há uma loja física".

O anúncio foi feito esta terça-feira pelo presidente executivo da Inditex, Pablo Isla, que traçou os objetivos da empresa em 2020, que passam também pelo facto de todas as lojas terem um stock integrado. Quer isto dizer que todas as peças de roupa que existirem nos estabelecimentos - só a marca Zara, a maior do grupo, tem 7448 lojas físicas em 96 países - vão passar também a existir online.

"Queremos que todos os clientes da Inditex de todos os países do mundo tenham acesso a todos os nossos produtos, independentemente de haver ou não lojas físicas", disse Pablo Isla. Só a Zara já vende online em 48 países, incluindo Portugal.

Anunciado plano de ecoeficiência

O sistema de stock integrado já está implementado em 25 dos 49 mercados nos quais o grupo tem venda online, como escreve a Inditex em comunicado no seu site oficial. Agora o plano é ter esta funcionalidade, feita através da tecnologia RFID (identificação dos artigos por radiofrequência), em todas as lojas do grupo até 2020. A tecnologia já existe em algumas lojas portuguesas, de acordo com o Jornal de Negócios.

A compra online da última tendência na moda numa das lojas da dona da Zara passa a ser quase em tempo real, com a disponibilidade de todos os artigos que se podem encontrar numa loja de rua ou de um centro comercial serem vendidos online em qualquer canto do mundo.

O grupo dono da Zara quer que todas as suas lojas sejam "ecoeficientes segundo os estandartes mais exigentes do mundo"

Na inauguração de uma Zara na capital italiana Roma, na Avenida Vittorio Emanuele, o responsável máximo pela gigante têxtil anunciou ainda um plano de ecoeficiência, que inclui a redução em 20% das despesas com energia e de até 50% no consumo de água, que espera ver cumprido já a partir de 2020.

Um plano a pensar no planeta que já está a ser colocado em prática em 80% das lojas da Inditex, mas o objetivo passa por cumprir 100% destes objetivos anunciados até 2020. O grupo dono da Zara quer que todas as suas lojas espalhadas pelos quatro cantos do planeta sejam "ecoeficientes segundo os padrões mais exigentes do mundo", afirmou Pablo Isla.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.