300 milhões para obras nas linhas de comboios

Boa parte da despesa para 2019, no valor de 200 milhões de euros, será gasta nos corredores internacionais Norte e Sul.

O Governo conta executar 300 milhões de euros de despesa com as obras do plano Ferrovia 2020 no próximo ano. Esta é a previsão de gastos para a modernização das linhas de comboio do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas que consta do Orçamento do Estado para o próximo ano, que foi entregue no Parlamento esta segunda-feira pelo ministro das Finanças, Mário Centeno. Um terço deste valor irá contar com comparticipação de fundos europeus.

"No sector dos Transportes, destacam-se os investimentos da Ferrovia 2020, com montantes que deverão ascender a 2.278 milhões de euros até 2023, dos quais em 2019 se deverão concretizar 300 milhões, com um financiamento previsto por fundos europeus de cerca de 120 milhões de euros", refere o relatório do Orçamento do Estado para 2019.

Boa parte da despesa para 2019, no valor de 200 milhões de euros, será gasta nos corredores internacionais Norte (Linha da Beira Baixa) e Sul (ligação entre Sines e Caia). Estão previstas ainda intervenções na Linha do Minho, Linha do Douro e Linha do Norte, que deverão ter um orçamento próximos dos 100 milhões de euros. Em 2019 serão ainda iniciados os "projetos para a modernização e eletrificação da Linha do Oeste e Linha do Algarve".

O plano Ferrovia 2020 prevê um investimento global de mais de 2 mil milhões de euros, quer para a construção de novas linhas ferroviárias, numa extensão de 214 quilómetros, quer para a modernização de linhas existentes, em cerca de 900 quilómetros.

Diogo Ferreira Nunes é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG