Dos 11 principais vencedores do Euromilhões, seis são do Reino Unido

Ao fim de três meses, o primeiro prémio no valor de 190 milhões de euros saiu na terça-feira a um único apostador. Este é o mais recente caso de um boletim premiado com os valores mais altos do Euromilhões que foi registado no Reino Unido.

É caso para dizer que quem regista o boletim do Euromilhões numa qualquer papelaria do Reino Unido parece ter mais sorte do que os restantes cidadãos dos países europeus onde existe o jogo das estrelas e dos números da sorte. Afinal, é o que dizem as estatísticas.

Dos 11 maiores prémios do Euromilhões, seis já foram para o Reino Unido - sendo que em alguns casos é o único vencedor e em outros sorteios partilha o prémio com mais países - como indicam as estatísticas reveladas pelo site Euro-Millions. Isto já a contar com o único apostador que ganhou esta terça-feira o jackpot de 190 milhões de euros, depois de três meses sem sair a ninguém.

Em quatro prémios com o valor máximo de 190 milhões de euros, o Reino Unido arrecada dois. Além do jackpot de terça-feira, há um boletim vencedor que foi registado em Suffolk, em Inglaterra. Os Bayford, que se tornaram famosos, registaram o bilhete vencedor a 10 de agosto de 2012, numa loja de conveniência. Adrian e Gillian, com dois filhos, separaram-se 15 meses depois de se tornarem euromilionários.

Além deste ex-casal britânico e do vencedor de terça-feira que registou a aposta no Reino Unido, há um apostador de Castelo Branco, que decidiu permanecer anónimo, e um vencedor que registou o bilhete em Las Palmas, Espanha. Todos eles ganharam o prémio máximo do Euromilhões.

Descendo um pouco no valor dos grandes prémios do jogo da Santa Casa da Misericórdia, o Reino Unido continua a predominar. Um jackpot acumulado atingiu, em 2013, um prémio de 187 milhões de euros. A 25 de junho desse ano, uma das duas apostas vencedoras foi registada na Irlanda. O outro boletim premiado foi na Bélgica.

Os cinco números e as duas estrelas da sorte que correspondiam ao jackpot de 185 milhões em 2011 estavam numa aposta registada na Escócia. Foi o único boletim com o primeiro prémio. O casal, Chris e Colin Weir, ganhou o Euromilhões depois de registar o boletim numa loja da cidade natal Largs, Ayrshire.

Colin, um operador de câmara reformado, e Chris, uma antiga enfermeira psiquiátrica, fizeram muitas doações de vários milhares de euros, criaram fundos fiduciários, financiaram a remodelação do campo do clube de futebol Largs Thistle. Doaram ainda um milhão de euros para o Teatro Nacional da Escócia.

Sete apostas premiadas registadas no Reino Unido num só sorteio

Em 2016, ao fim de 12 sorteios a acumular o valor do primeiro prémio, o jackpot de 183 milhões de euros foi repartido por vinte apostadores que acertaram no segundo prémio (cinco números e uma estrela). Cada um dos premiados venceu, 9,6 milhões de euros, sendo que havia sete detentores do bilhete premiado no Reino Unido. As restantes apostas foram registadas em França, Espanha, Portugal, Irlanda e Bélgica.

Por último, entre 11 prémios principais do Euromilhões, há ainda um sexto sorteio em que um dos boletins vencedores foi registado no Reino Unido. Foi em fevereiro de 2018, quando dois apostadores dividiram um jackpot de 177 milhões de euros, levando para casa mais de 88 milhões de euros cada um. Os dois vencedores decidiram permanecer no anonimato. Uma aposta foi registada no Reino Unido sendo que a outra foi num centro comercial em Cádis, Espanha.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.