"Cascais continua a querer estar na vanguarda da mobilidade, do ambiente e da qualidade de vida"

As palavras são do vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, Miguel Pinto Luz, que durante a sessão de abertura do Portugal Mobi Summit, esta manhã, reiterou o compromisso da cidade com a sustentabilidade.

A quarta edição do Portugal Mobi Summit está oficialmente inaugurada, com o vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais a ser um dos anfitriões desta manhã. Miguel Pinto Luz subiu ao palco na sessão de abertura para lembrar que "a partilha de informação, de experiências e de oportunidades" é essencial para atingir o objetivo comum rumo à sustentabilidade ambiental. "Não podemos ignorar as gerações mais novas e muito menos o seu futuro", defendeu.

A partir do Palácio da Cidadela, onde, em 1878, foi implementada a primeira solução de iluminação pública para usufruto da família real, Pinto Luz fez questão de assinalar que "o maior desafio da nossa geração" passa pelo "combate às alterações climáticas". Neste campo, aliás, o concelho tem sido por diversas vezes considerado um exemplo pela implementação de projetos inovadores, como o seu processo de evolução para uma smart city.

"Este espaço está absolutamente ligado às smart cities, à tecnologia, à disrupção e à nossa vontade de fazer melhor", diz, exemplificando com o Cascais Cockpit, o centro de controlo movido a inteligência artificial com capacidade preditiva que permite monitorizar tudo o que acontece na cidade. "Ninguém consegue gerir o que não consegue medir", aponta, referindo-se aos "milhões de sensores" inteligentes espalhados pelo concelho.

Por outro lado, ao nível da mobilidade, o município tem dado passos no sentido da oferta de transportes públicos gratuitos a toda a população. A ideia é incentivar a adoção de soluções sustentáveis, reduzindo o trânsito automóvel e baixando os níveis de poluição associados. "Criámos soluções de mobilidade suave, apostámos muito nos transportes públicos que são gratuitos em Cascais. Somos a única cidade que o faz", afiança. Em resposta às críticas sobre a despesa que medidas como esta representam para o erário público, Miguel Pinto Luz explicou de que forma são financiados estes projetos. "Pagamos os transportes públicos em Cascais somente com a atracão das locadoras de renting e leasing que pagam IUC em Cascais", afirma.

A "redistribuição justa" das receitas públicas é, reforça, uma prioridade para o município, que continuará a apostar na construção de um futuro mais verde. "Cascais continua a querer estar na vanguarda da mobilidade, do ambiente e da qualidade de vida", remata.

O Portugal Mobi Summit, que se realiza entre hoje e sexta-feira, continuará pela manhã e tarde fora com sessões de debate, keynote e entrevistas para assistir ao longo do dia através do site oficial e nos dois palcos desta quarta edição, no Palácio da Cidadela e na Casa das Histórias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG