Carlos Slim propõe trabalhar três dias por semana e reforma aos 75 anos

O magnata mexicano e uma das maiores fortunas do mundo, diz que a pandemia vai obrigar a uma nova ordem na economia. Defende também estruturas mais simples e com o mínimo de níveis hierárquicos.

Carlos Slim, o magnata mexicano que possui na atualidade a 12.ª maior fortuna do mundo (está avaliada em 45 mil milhões de euros), revelou a sua receita económica para permitir aos governos equilibrar as finanças nestes tempos difíceis de pandemia de covid-19. O plano, entre outras coisas, passa por jornadas diárias de 11 horas de trabalho, mas apenas em três dias por semana. Outra das propostas é que a idade da reforma passe para os 75 anos.

O milionário mexicano considera que a pandemia de covid-19 vai obrigar a novos e arrojados planos para combater o desemprego e salvar as empresas da falência. E por isso avançou com algumas ideias que, no seu entender, podem conduzir a uma nova normalidade.

"Este vírus invisível gerou uma situação económica e social preocupante e muitas coisas vão ter de mudar. Há uma mudança na sociedade industrial e uma nova comunidade tecnológica que tem efeitos muito positivos", referiu Slim nesta quarta-feira, durante uma participação on-line numa ação da Confederação Espanhola de Diretores e Executivos, apelando a que se criem "estruturas mais simples e com o mínimo de níveis hierárquicos".

Nesse sentido, o magnata recuperou uma ideia antiga, de 2015, que passa pelas empresas apostarem em jornadas semanais de trabalho de 33 horas, divididas por três dias, defendendo que quem quiser pode até ter mais do que um emprego em simultâneo. Carlos Slim revelou ainda ser partidário do adiamento da idade da reforma para os 72 anos, dando como exemplo o caso espanhol. "Reformas aos 62 anos tornam o sistema insustentável", disse.

Carlos Slim Helú, que nasceu na Cidade do México a 28 de janeiro de 1940, é um dos empresários de maior sucesso a nível mundial e conhecido no seu país por Midas, devido à sua habilidade em transformar empresas decadentes em companhias saudáveis e lucrativas. É também considerado o rei Midas das telecomunicações, devido aos inúmeros negócios que tem nesta área.

Atualmente todos os seus investimentos estão concentrados numa holding, o Grupo Carso. A sua residência fixa continua na Cidade do México, mas há muitos anos que vive em constantes viagens pelo mundo inteiro a tratar de negócios nas áreas das comunicações, dos transportes, da mineração, do comércio, das finanças, dos seguros e da indústria de componentes automóveis. Slim é o principal acionista da Telefónica América Móvil, que opera na América Latina e nos EUA e tem o controlo da Telmex.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG