Bónus salarial vai ser pago diretamente aos trabalhadores em julho

O montante varia entre 100 e 351 euros para os trabalhadores com salário até 1270, ou seja, dois salários mínimos nacionais.

A Segurança Social vai pagar diretamente aos trabalhadores que estiveram em lay-off um bónus em julho para compensar a perda de rendimento.

A medida, que consta do programa de estabilização económica e social (PEES) já previa este complemento extraordinário, mas esta terça-feira, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social detalhou um pouco como vai funcionar.

"O complemento de estabilização, esse dirigido aos trabalhadores, será pago diretamente aos trabalhadores, com vencimento até dois salários mínimos nacionais (1270 euros) e com perda de rendimento e a Segurança Social pagará em julho diretamente aos trabalhadores", garantiu Ana Mendes Godinho na audição na Comissão de Orçamento e Finanças (COF).

No PEES, é referido que "o objetivo dar um apoio extraordinário aos trabalhadores que tiveram uma redução de rendimento em resultado da pandemia, com o objetivo de mitigar a perda de rendimento familiar".

O apoio extraordinário é pago uma única vez, em julho, "no montante da perda de rendimento de um mês de lay-off, num valor que pode variar entre 100 e 351 euros, a todos os trabalhadores com rendimento de fevereiro até dois salários mínimos e que tenham registado uma perda de salário base (ou seja tenham um salário base superior a um salário mínimo), que estiveram em lay-off num dos meses entre abril e junho", indica o documento aprovado pelo Governo.

A medida deverá custar cerca de 70 milhões de euros e é financiada através do mecanismo europeu SURE.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG