Apoios covid-19. Pluris de Mário Ferreira recebe a maior fatia do fundo de capitalização do Banco de Fomento

O Banco Português do Fomento aprovou a candidatura de 12 empresas ao Programa de Recapitalização Estratégica do Fundo de Capitalização e Resiliência no valor de 76,7 milhões de euros. A Pluris, empresa do dono da TVI, recebe mais de metade do valor. BPF diz que apoio "visa exclusivamente o apoio à atividade turística".

A Pluris Investments, grupo empresarial de Mário Ferreira, vai receber mais de metade dos apoios já aprovados para ajudar as empresas a recuperar da pandemia de covid-19. O Banco Português do Fomento (BPF) aprovou a candidatura de 12 empresas ao Programa de Recapitalização Estratégica do Fundo de Capitalização e Resiliência (FdCR) no valor de 76,7 milhões de euros.

A empresa do dono da TVI encabeça a lista ao receber mais de metade do valor total dos apoios. Dos quase 77 milhões de euros, 40 milhões foram aprovados para a Pluris, noticia o Observador. Verba que, assegura o BPF, "visa exclusivamente o apoio à atividade turística".

Desta forma, segundo a lista de investimentos divulgada na segunda-feira, a empresa de Mário Ferreira vai receber mais de metade dos apoios, ou seja 52%. Mas de acordo com o empresário Mário Ferreira, citado pelo jornal Público, a verba vai servir para capitalizar a empresa de navios turísticos Mystic Cruises.

Mário Ferreira, o maior acionista da Media Capital, dona da TVI, afirmou que o Estado não vai tomar capital da Pluris, uma vez que o investimento será em obrigações convertíveis. Referiu que vai pagar taxas de juro mais altas do que as que pagaria junto da banca privada.

O empresário indicou ao diário que a escolha por este tipo de financiamento baseia-se no período de carência, de três anos, sendo que tem como objetivo amortizar o empréstimo em cerca de cinco anos, uma vez que a taxa de juro vai subindo ao longo do prazo.

A Mystic Cruises vai ter outras fontes de financiamento, além do BPF, acrescentou o empresário. Explicou que está previsto um aumento de capital de 80 milhões de euros, metade diz respeito ao Banco Português do Fomento e os outros 50% serão assegurados por outra via.

Isto porque a empresa de cruzeiros está "com investimentos em continuidade, ao ritmo de 100 milhões por ano, na construção de novos barcos", frisa Mário Ferreira.

E, já em setembro, deve chegar à Mystic River o World Traveller, um novo navio de exploração polar, oriundo dos estaleiros de Viana do Castelo. Este hotel de cinco estrelas flutuante levará clientes, sobretudo dos EUA ao Ártico e à zona do Antártico e terá a capacidade para 200 passageiros e 117 tripulantes.

Escreve o Público que Mário Ferreira é creditado como tendo recebido até agora pelo menos 33 milhões de euros em ajudas europeias para vários projetos turísticos.

O anúncio da aprovação dos 12 candidatos aos apoios foi feito pelo Banco do Fomento na sexta-feira, que divulgou a lista de empresas a investir (através do FdCR) e "que operam nos setores estratégicos do turismo, indústria, agricultura e alimentar", segundo refere o comunicado do Banco do Fomento.

Na segunda-feira, fonte oficial do Banco Português de Fomento disse à Lusa que a candidatura ao investimento aprovado para a Pluris Investments, acionista da Media Capital, "visa exclusivamente o apoio à atividade turística" deste grupo económico.

"Trata-se de uma operação de investimento de quase capital cujas condições estão alinhadas com o Quadro Temporário de Auxílios de Estado Covid-19 publicado pela Comissão Europeia, na sua versão atualizada em 18 de novembro de 2021", prosseguiu a mesma fonte, em resposta por escrito.

Esta operação "de investimento foi qualificada como estratégica em resultado da aplicação dos critérios de avaliação previstos no Programa de Recapitalização Estratégica lançado pelo Fundo de Capitalização e Resiliência", concluiu o BPF.

A Pluris Investments, que detém 35,38% da Media Capital, dona da TVI, tem negócios em áreas diversificadas como o turismo.

Além de Pluris Investments, as seguintes empresas também vão receber apoios do fundo de capitalização: MD Group, Viagens Abreu, Coindu - Componentes para a Indústria Automóvel, Lunainvest - SGPS, ERT - Têxtil Portugal, Hubel Agrícola SGPS, Orbitur - Intercâmbio de Turismo, Têxtil António Falcão, Travel Store - Prestação de Serviços - Viagens, Enging - Make Solutions, Qualhouse - Produtos Alimentares.

O Programa de Recapitalização Estratégica conta com 400 milhões de euros de dotação global, através de fundos do FdCR, tendo por objetivo estimular o crescimento sustentável da economia e colmatar a "delapidação" de capitais próprios durante a crise gerada pela pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG