APETRO alerta para "fraudes nas botijas de gás"

Associação emitiu comunicado em que denuncia atividades ilegais no "enchimento e comercialização de botijas de gás" que são um risco para o consumidor

A Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO) lançou esta segunda-feira um alerta para, "embora esporádicos", alguns "comportamentos e intervenções pouco escrupulosas de indivíduos que se servem das mais variadas práticas de fraude no enchimento e na comercialização de botijas de gás butano/propano, para promoverem negócios ilícitos".

Em comunicado, a APETRO, recordando notícias recentes sobre ações de fiscalização da ASAE e da ENSE, diz que, além de ilegais, estes comportamentos revelam também "uma ausência total de procedimentos de segurança", que pode colocar em risco "não só os próprios como o consumidor a quem tentam vender o seu produto".

Face a isto, a APETRO reforça que "as garrafas de gás legalmente comercializadas, têm marca reconhecida, presença e reputação consolidadas, pois a sua atividade obedece a todos os requisitos de operação, segurança e comercialização que estão definidos, não apenas no contexto nacional, mas também no contexto da UE", lembrando um ponto essencial: "Todas estas garrafas possuem um selo que permite garantir a sua inviolabilidade, após o enchimento, até que chegue ao consumidor (...), por isso é de extrema importância que o consumidor esteja atento à selagem da válvula da garrafa".

No comunicado assinado pelo diretor técnico da APETRO, José Alberto Oliveira, é ainda frisado que "todas as garrafas, quando regressam vazias às instalações de enchimento das entidades que possuem a respetiva licença para essas operações (...) são verificadas uma a uma e excluídas as que não se apresentam em boas condições", acrescentando que "quem se propõe agir de forma clandestina, promovendo operações perigosas para tentar vender este produto de forma enganosa, pratica deliberadamente um ato irresponsável e perigoso".

No passado dia 7 de dezembro, a ASAE (em colaboração com a Entidade Nacional para o Setor Energético - ENSE), apreendeu cerca de cem botijas de gás de capacidades diversas (45 quilos, 13 quilos e dois quilos) e os respetivos adaptadores, cinco 'pen drives' e documentação variada, num valor total aproximado de 3400 euros, na sequência de uma investigação por suspeita de crime de fraude sobre mercadorias no concelho de Santarém.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG