Surfista Alex Botelho permanece estável e com ventilação assistida

Português foi retirado inanimado do mar na terça-feira, na prova de ondas gigantes.

Alex Botelho, o surfista português, que foi retirado do mar inanimado na terça-feira, permanece estável, mas com ventilação assistida, no Hospital de Leiria. "Está estável, permanece na Unidade de Cuidados Intensivos com necessidade de ventilação assistida", informou esta quinta-feira a organização da prova de ondas gigantes Nazaré Challeng.

Botelho sofreu um acidente durante a prova, tendo ficado inconsciente, na Praia do Norte, depois de a mota de água, na qual seguia acompanhado do também português Hugo Vau, ter sido atingida por uma onda que deixou o surfista inconsciente durante cerca de dois minutos, altura em que foi tirado do mar pela equipa de segurança e resgate na água.

O brasileiro Edilson Assunção, conhecido pela alcunha de Alemão de Maresias, foi o primeiro a socorrer o português e viu a equipa de resgate ser distinguida com o prémio "compromisso". "Quando cheguei, com a moto de água, ao pé do Alex já ele estava em situação de pré-afogamento, inconsciente e a espumar da boca. Rapidamente percebi que não estava em condições. Abandonei o jet ski, fui para a água e tentei ficar o mais perto possível dele", disse o especialista em resgates e salvamentos na Praia do Norte.

"Depois o Serginho tentou nos colocar no sled da sua moto de água, mas tal não foi possível. Só estavam a rebentar ondas e por algum motivo o Serginho não conseguiu regressar ao local onde estávamos. Ninguém apareceu. Tentei estar o mais próximo possível do Alex, mas a cada onda que chegava afastava-se de mim. Tudo foi mais difícil por ser uma pessoa grande, pesada e ainda para mais estava cheio de água. Apesar de todas as dificuldades, felizmente conseguimos chegar ao inside com o Alex a salvo", explicou o waterman brasileiro.

Veja o resgate.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG