Lyon trava Ronaldo e a Juventus perde

Equipa italiana foi a França perder com o Lyon, por 1-0. Jogo da segunda mão é no dia 17 de março em Turim.

O Lyon surpreendeu a Juventus (1-0) e travou Ronaldo. Esta quarta-feira, o português ficou em branco, depois de 11 jogos seguidos a marcar golos, e a vecchia signora perdeu em França, dando assim um passo atrás no tão desejado sonho da conquista da Liga dos Campeões. A segunda mão está marcada para dia 17 de março, em Turim.

Aos quatro minutos de jogo, Cristiano Ronaldo, com um cruzamento muito perigoso e traiçoeiro, fez a bola passar a rasar o poste sem que Cuadrado conseguisse desviar a bola para a baliza de Anthony Lopes. Um presságio do que iria acontecer no jogo, com a Juventus a não conseguir encontrar o caminho do golo.

Com o passar dos minutos a equipa italiana foi perdendo fulgor e organização ofensiva. Do outro lado, os franceses resolveram alguma incapacidade em chegar com critério perto da baliza da Juventus e começaram a criar muito perigo. Depois de uma ameaça de Toko-Ekambi (bola bateu no ferro),a equipa francesa conseguiu criar uma situação de superioridade numérica e Tousart bateu Szczesny aos 31 minutos.

O golo francês abriu o jogo e Ronaldo tentou o empate aos 35 minutos, mas o remate em arco saiu diretamente para fora. Respondeu o Lyon por Toko-Ekambi, que aos aos 41 minutos teve o 2-0 nos pés, mas não acertou na baliza. Logo depois o português sacou uma falta para livre direto à frente da área do compatriota, mas a marcação não lhe saiu bem.

CR7 ficou a reclamar consigo próprio, mas o segundo tempo não seria muito diferente. A Juventus procurava encontrar Ronaldo em boa posição, mas Rudi Garcia tinha montado uma estratégia para cortar todos os caminhos para o português. O treinador do Lyon tinha dito que a única forma de travar Ronaldo era não o deixar passar na fronteira, mas a verdade é que ele encontrou uma maneira.

Aos 84 minutos, Sarri, já depois de meter Higuaín ao lado de Ronaldo na frente, fica de mãos na cabeça a pedir grande penalidade sobre o português, que mais uma vez desesperou perante a indiferença do árbitro ao toque de Danyeor. Depois Higuaín falhou o empate por pouco e Dybala ainda meteu a bola na baliza, mas o árbitro anulou o lance por fora de jogo do argentino. O mesmo Dybala ficou a pedir penálti aos 89 minutos, mas mais uma vez o juiz da partida mandou jogar.

E assim a vecchia signora chegou ao fim do jogo sem marcar e com um golo de desvantagem para gerir no jogo da segunda mão, em Turim.

Emoção e polémica na vitória do City no Bernabéu

No outro jogo da noite, o Manchester City arrancou um triunfo importante no Bernabéu. A equipa de Guardiola venceu o Real Madrid, por 2-1, depois de ter estado a perder por 1-0.

O Real entrou melhor na partida, mas o City foi ganhando terreno a partir dos 15 minutos e esteve mais perto do golo. Já depois de Ederson impedir o golo de Benzema, Casemiro salvou os merengues de um autogolo de Sérgio Ramos com um corte em cima da linha de golo.

No segundo tempo a equipa de Zidane adiantou-se no marcador aos 60 minutos, por Isco Isco, a passe de Vinicius Jr.. Depois entrou em ação o caráter combativo da equipa inglesa, que deu a volta ao marcador com golos de Gabriel Jesus e Kevin de Bruyne (grande penalidade).

Os espanhóis acabaram o jogo com dez jogadores, após expulsão de Sérgio Ramos, e terão agora de ir ganhar a Manchester, por dois no mínimo, e sem o capitão, se quiserem conquistar a 14.ª Champions do seu historial.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG