Mourinho e Klopp arrasam "perdão" do tribunal ao Manchester City

Os treinadores de Tottenham e Liverpool não se conformam com a decisão do TAS de anular a decisão da UEFA em suspender os citizens da Champions durante duas épocas. Guardiola fez a defesa do seu clube e lançou ataques.

José Mourinho e Jürgen Klopp, treinadores de Tottenham e Liverpool, respetivamente, estão indignados com o facto o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) de Lausanne, na Suíça, ter anulado a suspensão de dois anos das competições europeias aplicada pela UEFA ao Manchester City por alegada violação do fair-play financeiro.

"Eu sei que o dinheiro é fácil para eles, mas há princípios. A decisão é vergonhosa porque se o Manchester City não é culpado não tem de pagar uma multa de 10 milhões de euros. Se são culpados, esta decisão também é vergonhosa porque deveria ser punido", afirmou José Mourinho, que classificou a decisão do TAS como "um desastre".

"Não estou a dizer que são culpados, estou é a dizer que se não são, não devem pagar, não devem ser penalizados. Se calhar são vítimas porque não fizeram nada de errado e têm de pagar milhões para nada", acrescentou o treinador português.

Por sua vez, o treinador campeão Jürgen Klopp considera que "não foi um bom dia para o futebol". "O fair-play financeiro é uma boa ideia, porque serve para proteger as equipas e a competição, mas deve ser cumprida. Se não cumpres, não deves poder jogar", sublinhou.

"Fico contente pelo City porque vai poder jogar a Liga dos Campeões no próximo ano, mas sinceramente não creio que ontem [dia em que foi conhecida a decisão] tenha sido um bom dia para o futebol", acrescentou o treinador alemão do Liverpool, que teme que este processo seja o fim do fair-play financeiro: "Creio que automaticamente, isto levará a uma superliga com uns dez clubes."

Guardiola atira-se ao presidente da Liga espanhola

Em sentido contrário aos rivais, Pep Guardiola, treinador do Manchester City, disse estar "incrivelmente feliz pela decisão do TAS" e explicou porquê: "Demonstra que tudo o que disseram sobre este clube não era verdade e que podemos defender no campo o que ganhámos no campo."

"Como disse muitas vezes, se tivéssemos feito alguma coisa mal, devíamos aceitar a sanção da UEFA, mas temos o direito a nos defendermos quando achamos que o que fizemos foi o correto", frisou.

Guardiola não se conteve entretanto em atacar o presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, que criticou a decisão do TAS, dizendo que seria preciso ponderar se este é o tribunal adequado para decidir sobre questões das instituições do futebol.

"O senhor Tebas deve estar com muita inveja da Premier League. Ele é um especialista legal incrível. Da próxima vez, perguntarei-lhe que juízes devem ir. Ele precisa é de se concentrar na sua Liga. É daqueles que quando a sentença é aplicada a seu favor é perfeito, mas quando é em seu desfavor, há sempre problemas. Senhor Tebas, estaremos na Liga dos Campeões na próxima temporada, porque o que fizemos foi o correto", frisou o treinador do Manchester City.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG