Morreu Antic, treinador que fez a dobradinha pelo Atlético de Madrid

O técnico sérvio tinha 72 anos e foi o único a orientar os três grandes de Espanha: Real Madrid, Atlético e Barcelona

O treinador sérvio Radomir Antic morreu esta segunda-feira em Madrid. O anúncio foi feito pelo Atlético, clube a que ficou ligado por ter sido o último a conquistar a dobradinha (Liga e Taça do Rei) em 1995-96.

O técnico, de 71 anos, não resistiu à longa batalha contra uma grave doença, mas Antic deixa um enorme legado no futebol espanhol, pois foi o único que orientou os três maiores clubes do país: Atlético de Madrid, Real Madrid e Barcelona.

Ao serviço dos colchoneros conquistou os seus únicos títulos enquanto treinador, orientando uma equipa da qual fazia parte Diego Simeone, atual técnico do Atlético, além de Pantic, Camiñero, Penev e Kiko.

Radomir Antic foi também futebolista, tendo sido um defesa que se notabilizou no Partizan Belgrado, onde jogou durante sete épocas e conquistou o título de campeão jugoslavo em 1975-76, foi depois para os turcos do Fenerbahçe, onde também foi campeão em 1977, antes de se mudar para Espanha para representar o Saragoça. A sua carreira de jogador terminaria em Inglaterra, ao serviço do Luton Town, em 1984.

Um ano depois começaria a sua carreira de treinador no comando do Partizan Belgrado, onde seria bicampeão nas duas primeiras épocas, tendo rumado depois para Espanha, onde fixaria residência até aos dias de hoje. Como técnico levou o Saragoça à Taça UEFA em 1988-89, acabando em 1990-91 assumido o comando do Real Madrid, substituindo Alfredo Di Stéfano, mas acabou por não ser feliz.

Foi então para o Oviedo, antes de chegar ao Atlético de Madrid para fazer história. Foi técnico colchonero durante quatro épocas, tendo tido como jogadores Paulo Futre (1997-98) e Hugo Leal (1999-00). No entanto, também ficou ligado à descida de divisão do clube em 2000, após a qual regressou ao Oviedo.

Através das redes sociais, Paulo Futre já manifestou pesar pela morte do seu antigo treinador e disse não ter palavras para o desaparecimento de Radomir Antic.

Em 2002-03, Antic assumiu o comando do Barcelona na fase final da época para tentar conseguir que a equipa alcançasse um lugar na Taça UEFA na época seguinte, ficou em sétimo lugar, mas o objetivo foi alcançado.

A sua última equipa em Espanha foi o Celta de Vigo (2003-04), onde chegou para tentar evitar a descida, o que acabou por conseguir.

Antic foi então convidado para ser selecionador de Sérvia, levando-a ao Mundial 2002, na África do Sul, onde foi eliminada na fase de grupos, salvando-se uma vitória à Alemanha, embora tenha perdido com Gana e Austrália.

Deixou a seleção do seu país em setembro de 2010, tendo depois embarcado numa aventura chinesa ao serviço do Shandong Luneng e do Hebei Zhongji, ao serviço da qual se retirou dos bancos em 2015. Desde então dedicou-se à carreira de comentador desportivo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG