Marinhense volta atrás e já não vai jogar à porta fechada

Clube tinha anunciado que jogava à porta fechada até final da época por "perseguição" da PSP local. Em comunicado enviado ao DN a polícia diz que se limitou "a fiscalizar uma situação ilegal de venda de bebidas alcoólicas em recintos de espetáculos desportivos".

O Marinhense recuou na decisão de jogar à porta fechada até final da época. Em comunicado, emitido na noite de segunda-feira, o clube da série C do Campeonato de Portugal informou que face ao forte impacto da notícia a direção do clube reuniu com as autoridades locais e foi "possível alcançar a harmonia e consensos necessários para que se possam realizar as provas desportivas sem quaisquer constrangimentos ou limitações no que ao acesso a sócios, simpatizantes e adeptos respeita".

O clube tinha ameaçado realizar todos os jogos à porta fechada "em virtude da perseguição" por parte "do Comando da PSP da Marinha Grande", após o comandante ter escalado "dois agentes à paisana, para que, misturando a qualidade de sócios com a de agentes da autoridade, procedessem a uma série de fiscalizações e apreensões".

A decisão não será alheia ao facto de mesmo nos jogos à porta fechada a lei obrigar ao policiamento. Além disso, haveria que salvaguardar os adeptos da equipa visitante.

Já a PSP diz que se limitou "a fiscalizar uma situação ilegal de venda de bebidas alcoólicas em recintos de espetáculos desportivos".

Comunicado PSP

"1) A esquadra da Polícia de Segurança Pública da Marinha Grande, no âmbito das suas competências atribuídas por Lei, limitou-se a fiscalizar uma situação ilegal de venda de bebidas alcoólicas em recintos de espetáculos desportivos, situação para a qual já havia alertado a direção do ACM em diversos momentos anteriores. A infração foi presenciada pelos agentes encarregados da fiscalização, que elaboraram o competente auto por contraordenação;
2) A Polícia de Segurança Pública continua e continuará a fazer cumprir os normativos legais em qualquer situação, tentando, sempre, sensibilizar e prevenir comportamentos de risco que possam colocar em causa a segurança de eventos desportivos ou de qualquer outra natureza;
3) Neste contexto, responsáveis da esquadra da Polícia de Segurança Pública da Marinha Grande e do ACM reuniram ontem, dia 14 de outubro, para abordar as responsabilidades de cada entidade na segurança dos espectáculos desportivos no Estádio Municipal da Marinha Grande, tendo chegado a um consenso e encontrado as melhores soluções para ambas as partes, considerando sempre o estrito cumprimento da Lei e normativos que regem esta matéria;
4) A Polícia de Segurança Pública sublinha, aliás, que, numa situação ideal, espera, no futuro, que os espectáculos desportivos possam dispensar a presença policial, sendo um sinal inequívoco de que todas as entidades, públicas e privadas, estarão a cumprir o preconizado na Lei;
5) A Polícia de Segurança Pública continua a apelar a todas as entidades e adeptos do futebol e do desporto em geral para um maior e melhor civismo, respeito e cumprimento das leis, de forma a que os espectáculos desportivos decorram sempre em segurança e em mútua colaboração entre todos os intervenientes."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG