Mais uma chicotada. Folha anuncia saída do Portimonense após derrota pesada com o último

É a 12.ª mudança técnica em 17 jornadas da I Liga. Mais de metade dos clubes já mudou de treinador esta época.

Três dias depois de o Belenenses SAD trocar Pedro Ribeiro por Petit, foi a vez do Portimonense ficar sem treinador. Este sábado, após a pesada derrota (3-0) com o último classificado do campeonato, o Desportivo das Aves, Folha anunciou a sua saída do comando da equipa algarvia. É a 12.ª mexida esta época na I Liga, sendo que o Sporting e o Belenenses já mexeram por duas vezes. No total, até hoje, em 17 jornadas, mais de metade das equipa do campeonato (dez) mudou de treinador.

"Antes de me fazerem perguntas sobre o jogo, queria transmitir que a partir deste momento não sou mais treinador do Portimonense", afirmou o treinador que chegou ao Portimonense na época passada, 2018-19. "É um virar de página e o momento para abandonar este projeto, porque já não dava mais para as pessoas e estava a ficar difícil. Independente de quem seja o treinador, o grupo tem de dar uma resposta. Nem a minha família sabe disto, mas tranquilamente seguirei o meu caminho, porque gosto de andar assim na vida", observou.

Folha, de 48 anos, deixa os algarvios na penúltima posição do campeonato, com 14 pontos, mais cinco do que o Aves, último classificado. Quanto ao futuro, deixou uma certeza: "É cedo, ainda não tive tempo de pensar nisso. Falei na flash [interview e nem sabia, ainda como treinador do Portimonense. Depois as coisas decidiram-se. Trabalhamos, gostamos do que fazemos e vai depender do que é o projeto. Se vou pegar já alguém? Não. Não vou fazer como colegas meus, eu a trabalhar e eles a telefonarem para o presidente, não vou. Tenho dignidade. Um treinador telefonar aos presidentes enquanto o treinador está lá, acho um bocado... (pausa), ao menos [que ligue] ao empresário. É mais bonito, mas como no futebol tudo se sabe, é giro a gente saber quem eles são, porque depois passam por eles e são todos sérios (risos). Eu sei que vocês gostam disto."

O 12.ª a sair em 17 jornadas

O primeiro a sair foi Filó. O mau início de campeonato do recém-promovido Paços de Ferreira levou-o à saída a 2 de setembro de 2019, para dar lugar a Pepa. Um dia depois a crise técnica tomou conta de Alvalade. Com alguma surpresa o Sporting mudou de treinador um mês e meio depois de começar o campeonato. Frederico Varandas optou por despedir Marcel Keizer, o treinador em quem tinha apostado quando assumiu a presidência, e entregou o banco a Leonel Pontes (treinador dos Sub-23 dos leões).

Dois dias após a saída do holandês do Sporting aconteceu a terceira chicotada, com a saída do comando do Belenenses SAD de Silas - substituído por Pedro Ribeiro -, ele que seria depois opção para o Sporting. Ainda se pensou que Leonel Pontes pudesse ser mais do que técnico interino, mas os resultados e as exibições da equipa leonina não o ajudaram a manter o lugar e Silas assumiu o comando, apesar das muitas críticas da Associação Nacional de Treinadores pela falta de credenciação do técnico.

Um mês depois, a 21 de outubro seria Inácio a deixar o Desp. Aves. O treinador, que já foi campeão nacional com o Sporting (1999-00), não resistiu ao último lugar na I Liga e abandonou a equipa, passando a pasta ao interino Leandro Martins. Poucos dias depois seria o Vit. Setúbal a mandar embora Sandro e colocar Meyong como interino, antes de entregar a equipa sadina ao espanhol Julio Velázquez.

Em novembro, nova baixa técnica. A época irregular de Nuno Manta Santos no comando do Marítimo levou à saída do treinador que logo depois assumiria o banco do Desp. Aves. Para o comando dos insulares entrou José Gomes.

Antes do Natal ainda haveria três chicotadas. No dia 16 de dezembro a surpresa com a saída de Vítor Campelos do tranquilo Moreirense, dando lugar ao então técnico do Sp. Covilhã Ricardo Soares. Um dia depois foi a vez de Lito Vidigal abandonar o Boavista, substituído por Daniel Ramos.

Foi também com alguma surpresa que o Sp. Braga mudou de treinador a 23 de dezembro. A fazer um campeonato aquém das expectativas, a equipa minhota deslumbrou na Liga Europa e apurou-se para a final four da Taça da Liga antes de Sá Pinto ser despedido e dar lugar a Rúben Amorim. Uma aposta polémica no técnico dos Sub-23 bracarenses, muito criticada pela Associação Nacional de Treinadores pela falta de credenciação.

No dia 15 de janeiro caiu Pedro Ribeiro. Apenas um ponto acima da linha de água ao fim de 16 jornadas, o Belenenses SAD resolveu mudar de treinador e apostar em Petit. Agora foi a vez de Folha sair do Portimonense.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG