Liverpool só sabe ganhar. E desta vez a vítima foi Mourinho

Um golo de grande classe de Roberto Firmino, na primeira parte, valeu a vitória da equipa de Jürgen Klopp. Tottenham esteve melhor na segunda parte mas desperdiçou duas boas oportunidades

O Liverpool continua a sua caminhada triunfal rumo à conquista do título que lhe foge há 30 anos e nem José Mourinho consegue travar a equipa treinada por Jürgen Klopp, que neste sábado venceu em Londres o Tottenham por 1-0, somou a 12.ª vitória consecutiva esta época na Premier League, já soma 61 pontos em 21 jogos no campeonato (apenas empatou dois) e aumentou para um ano e uma semana o espaço temporal sem sofrer derrotas no campeonato - a última foi a 3 de janeiro de 2019, com o City. Isto num jogo onde a equipa de Anfield dominou a primeira parte e o Tottenham desperdiçou duas grandes oportunidades perto do final.

Manteve-se assim a tendência do historial de confrontos entre José Mourinho e Jürgen Klopp, com o alemão a aumentar a vantagem - nos 11 duelos venceu cinco, empatou quatro e perdeu apenas dois, desde 2004. O Tottenham, com esta derrota, desceu ao sétimo lugar, e desde que o português pegou na equipa, no final de novembro, soma cinco vitórias, um empate de quatro derrotas.

José Mourinho optou por ir a jogo num esquema de 4X4X2 (e não com três centrais), e com uma grande novidade no onze, com a presença de Japhet Tanganga, jovem de 20 anos formado no clube que se estreou neste sábado em jogos da Premier League. Sem Harry Kane, o ataque ficou entregue a Son e Lucas Moura. No Liverpool, Klopp apostou no melhor onze, com destaque para o trio atacante composto por Mané, Firmino e Salah.

O primeiro lance de perigo aconteceu logo aos dois minutos. Numa transição rápida do Liverpool, Firmino rematou mas a bola bateu em Tanganga, e na recarga Oxlade-Chamberlain atirou ao poste. Dois minutos depois, o Tottenham respondeu com um remate de longe e perigoso de Lucas Moura ao lado. E antes dos 10', Son também tentou a sorte de longe, mas sem a melhor direção.

O Tottenham apostava tudo nos lances de contra-ataque para explorar a velocidade de Lucas Moura, Son e Dele Ali. O Liverpool praticava o seu futebol apoiado e com muito mais posse de bola, quase sempre instalado no meio-campo adversário. E aos 23', teve mais uma boa oportunidade, mas Van Dijk cabeceou fraco para defesa fácil de Gazzaniga.

Tottenham reage e desperdiça

A resistência do Tottenham demorou 37 minutos. Num lance que teve início num lançamento de linha lateral, Salah assistiu Roberto Firmino, que com classe tirou o estreante Tanganga da frente e d pé esquerdo, num remate cruzado, marcou o primeiro golo do Liverpool, que antes do intervalo, numa grande jogada de Salah, podia ter feito o segundo. Uma vantagem que se justificava plenamente ao intervalo.

A segunda parte começou com um remate perigoso de Lucas Moura, de longe o jogador mais inconformado do Tottenham. Em desvantagem, a equipa de Mourinho arriscou mais no segundo tempo, e Son, aos 60 minutos, teve mais uma boa oportunidade, mas rematou ao lado. Este atrevimento dos spurs, contudo, permitiu mais espaços ao Liverpool, uma equipa muito forte nas transições ofensivas.

Aos 69 minutos, Mourinho mexeu na equipa (e bem) e fez logo duas alterações de uma só vez, com as entradas de Lamela e Lo Celso para os lugares de Danny Rose e Eriksen - convém lembrar que o português não tinha nenhum avançado no banco. Aos 75', Mourinho nem queria acreditar no que acabara de ver, com o sul-coreano Son a atirar por cima quando tinha tudo para fazer o empate.

O Tottenham tentou tudo nos últimos minutos para chegar à igualdade, que esteve outra vez muito perto de acontecer. Aos 81', num bom lance de ataque, Lo Celso surgiu bem posicionado e falhou escandalosamente, atirando ao lado só com o guarda-redes Allison pela frente. O lance motivou um grande sorriso de Mourinho no banco e deixou Klopp à beira de um ataque de nervos. Até ao final não houve mais golos e o marcador confirmou que este Liverpool só sabe mesmo ganhar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG