Sterling foi estrela na goleada da Inglaterra

O jogador do Manchester City marcou três golos na goleada à República Checa. A França entrou com um triunfo fácil na Moldávia

A Inglaterra entrou com uma goleada de 5-0 à República Checa na fase de qualificação para o Euro2020. A partida, que se realizou no Estádio de Wembley sob arbitragem de Artur Soares Dias, foi marcada pela grande exibição de Raheem Sterling, que marcou três golos pela primeira vez na equipa nacional.

O jogador do Manchester City abriu o marcador aos 24 minutos, a culminar um passe do jovem Jadon Sancho. O goleador Harry Kane, de penálti a castigar falta sobre... Sterling, aumentou para 2-0 em cima do intervalo.

No segundo tempo, Sterling marcou mais dois golos (62' e 68'), tendo a goleada sido fechada com um lance infeliz de Tomas Kalas, que marcou na própria baliza, numa altura em que o selecionador inglês Gareth Southgate já tinha promovido as estreias de Declan Rice e Hudson-Odoi.

No outro jogo do grupo A, a Bulgária cedeu um empate 1-1, em casa, frente a Montenegro. Os visitantes até estiveram em vantagem graças a um golo de Mugosa, tendo os búlgaros conquistado um ponto nesta partida graças a um penálti transformado por Nedelev já perto do final.

Os três jogos do grupo B foram ganhos pelas equipas que jogaram fora de casa. A França, campeã do mundo em título, não sentiu grandes dificuldades em vencer na Moldávia por 4-1.

Griezmann, Varane, Oliver Giroud e Mbappé construiram a goleada francesa, que só foi atenuada já perto do fim do jogo graças ao golo de honra dos moldavos apontado por Ambros.

Por sua vez, a Turquia foi á Albânia vencer por 2-0, com golos de Burak Yilmaz e Çaljanoglu, enquanto a Islândia foi a Andorra construir o mesmo resultado graças aos remates certeiros de Birkir Bjarnason e Kjartansson.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.