Sérgio Conceição: "Estamos a fazer uma época à Porto"

O treinador do FC Porto recusa a ideia de fazer poupanças no jogo deste sábado com o Portimonense e mostra-se confiante de que em maio a sua equipa fará a festa do título, mas para isso defende que é preciso pensar num jogo de cada vez.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, não quer ouvir falar em poupanças no jogo deste sábado com o Portimonense, a pensar na partida de quarta-feira com o Liverpool.

"Não há gestão nenhuma. Vamos ter um jogo fundamental para a nossa caminhada na I Liga. O foco é total no Portimonense. Volto a referir isso num momento em que se aproxima o fim do campeonato. Os jogos têm o seu peso. Temos de ganhar os nossos e depois esperar que haja algum deslize do rival, mas temos sobretudo de nos preocupar connosco e em fazer os nossos pontos", assumiu o técnico portista.

Sérgio Conceição reafirmou que o principal objetivo do FC Porto "é o campeonato" e nesse sentido está consciente de que a visita ao Portimonense é essencial para as contas do título, recordando que as vitórias que os algarvios alcançaram diante do Benfica e do Sporting "mostra a qualidade individual do Portimonense dentro de um coletivo que no processo ofensivo funciona bem".

Ainda assim, admitiu que o adversário deste sábado (18.00 horas) "têm algumas fragilidades". "Vamos ver como vai jogar porque temos a experiência do primeiro jogo no Dragão. Estamos preparados e temos de pensar naquilo que devemos fazer e saber definir o caminho do jogo", frisou.

O treinador dos dragões lembrou que nesta altura da época todos os jogos têm um grau de dificuldade elevado. "Por vezes os jogos que pensamos que podem ser mais fáceis, tornam-se mais difíceis. Teoricamente este jogo com o Portimonense é menos complicado que o de Braga, mas pode ternar-se mais complicado", assumiu.

A pensar na repetição do ano passado

Sérgio Conceição deixoi depois um aviso à concorrência: "Esta é uma época à Porto. É verdade que perdemos a Taça da Liga, mas estamos na final da Taça de Portugal, nos quartos de final da Champions e estamos no primeiro lugar com os mesmos pontos do Benfica. É lógico que queria estar com dez pontos de avanço e de ter ganho a Taça da Liga, mas estamos na luta pelo campeonato e no ano passado aconteceu mais ou menos a mesma coisa. E é com esse espírito à Porto que estamos aqui."

Questionado sobre o facto de esperar que o Benfica escorregue para conquistar o bicampeonato, Sérgio Conceição mostrou-se focado no que a sua equipa tem de fazer. "Temos de fazer o nosso trabalho, temos de pensar jogo a jogo, não podemos estar a pensar nos seis jogos que ainda faltam. Temos de fazer o máximo para conseguir os três pontos, se o conseguirmos podemos no final do campeonato estar felizes. Por isso, foco total no jogo com o Portimonense", sublinhou.

A grande novidade nos convocados do FC Porto para esta partida no Algarve é o regresso de Aboubakar após uma lesão grave, algo que o treinador portista quer que seja encarado com calma: "O Aboubakar esteve quase sete meses parado, mas uma coisa é estar disponível para a competição, outra coisa é ter ritmo e capacidade para dar resposta no jogo, por muito bem que treine. Não queremos queimar nenhuma etapa, até porque sabemos como foi delicada esta intervenção cirúrgica que ele teve. Quando acharmos que é o momento certo, ele fará parte das soluções para ir a jogo."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.