Carlos Andrade não vai continuar no Benfica

Ex-basquetebolista terminou a carreira de jogador e teve um convite para ser team manager, ocupando o lugar de Diogo Carreira, mas não chegou a entendimento financeiro. Filho de João Rodrigues no hóquei encarnado

Carlos Andrade, que terminou a carreira de basquetebolista na última temporada, não vai continuar no Benfica. O antigo extremo, de 40 anos, chegou mesmo a ocupar o lugar de team manager que pertencia a Diogo Carreira, outro ex-basquetebolista dos encarnados, e a desempenhar no terreno essas funções mas não houve acordo financeiro, por isso o Benfica não tem, atualmente, team manager no basquetebol depois de as negociações não terem corrido pelo melhor com o seu antigo atleta.

No hóquei em patins, o DN sabe que a posição de team manager vai ser preenchida por João Rodrigues, um antigo praticante da modalidade, filho do conhecido João Rodrigues, ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, que é, curiosamente, um dos arguidos da operação Lex, tal como Luís Filipe Vieira e o vice-presidente do Benfica Fernando Tavares.

Nesta modalidade o treinador Pedro Nunes está obrigado a ganhar após ter visto o título fugir nos dois últimos anos para FC Porto e Sporting.

Após um ano sem qualquer título nas modalidades de pavilhão, o Benfica tenta agora voltar aos triunfos e para isso está em negociações com Rui Lança, especialista em coaching motivacional, que vai ocupar um cargo que se assemelha ao de diretor-geral para as modalidades. Lança já esteve na Luz a falar com os responsáveis de algumas modalidades mas ainda negoceia o seu vínculo com o Benfica.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.