Gelson Martins suspenso por seis meses por empurrar árbitro

Futebolista português do Monaco só pode voltar a jogar em França no dia 6 de agosto. Clube aceita castigo e não recorre, apesar de considerar que é "excessivo" para um jogador que "não tem registo disciplinar em mais de 200 jogos ao mais alto nível".

Acabou a época para Gelson Martins. O jogador do Monaco foi suspenso pela liga francesa por seis meses, por ter empurrado um árbitro durante o jogo com o Nimes em fevereiro. O castigo começa a contar desde o dia 6 de fevereiro, altura em que o português foi suspenso preventivamente. O ex-jogador do Sporting só poderá voltar atuar a 6 de agosto.

Segundo explicou ao DN, uma fonte da Liga Francesa de Futebol, o castigo é internacional, o o que impossibilita que o jogador possa ser emprestado para mercados em aberto, como o Brasil e a China, por exemplo, durante o tempo da suspensão. A mesma fonte esclareceu ainda que o castigo não se aplica a jogos da seleção. Gelson pode assim ser chamado para o torneio que a seleção vai jogar no Qatar no final de março ou mesmo para o Euro2020, se Fernando Santos quiser.

Gelson Martins perdeu a cabeça quando viu o seu colega de equipa (Bakayoko) ser expulso aos 32 minutos, tendo empurrado o árbitro e recebido ordem de expulsão do jogo com o Nimes, que o Monaco perdeu por 3-1, na jornada 22 da liga francesa. Depois de ser expulso, o jogador ainda voltou a empurrar o juiz da partida. Uma atitude considerada grave pela equipa de arbitragem, cujo relatório foi essencial para a decisão da justiça desportiva francesa. Segundo os regulamentos, o extremo podia apanhar até oito meses, mas o castigo ficou-se pelos seis meses. Um castigo idêntico ao do marroquino Youssouf Hadji, que em 2010 durante o Nancy-Valenciennes teve um comportamento semelhante.

Horas depois de ter sido expulso, o internacional português recorreu às redes sociais para pedir desculpa ao árbitro da partida. "Quem me conhece sabe que em toda a minha carreira sempre tive por princípio respeitar todos - colegas, adversários, adeptos e árbitros - fora de campo e dentro de campo, onde nunca fui nem sou agressivo com ninguém. Sinto que devo pedir desculpa por uma atitude irrefletida e feita de cabeça quente. Peço desculpa, em especial ao sr. árbitro Mikael Lesage, mas também aos meus colegas de equipa e aos nossos adeptos", escreveu o extremo português, que pode ainda ser castigado pelo clube.

Oleg Petrov, vice-presidente do Monaco, criticou duramente a atitude "inaceitável" e "imperdoável" do extremo, apesar de ele ter pedido desculpa ao árbitro pessoalmente no final do jogo e nas redes sociais e prometeu agir internamente, apesar de saber que Gelson tinha tido uma "semana difícil". Agora depois de conhecido o castigo, o clube anunciou que aceita o castigo. Ou seja, não recorre, apesar de considerar que o castigo é "excessivo" para um jogador que "não tem registo disciplinar em mais de 200 jogos ao mais alto nível".

Gelson assinou por cinco anos pelo Monaco em junho de 2019. Esta época fez 23 jogos e marcou quatro golos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG