F1. Espectadores não cumprem distanciamento

Bancadas cheias no autódromo de Portimão vão contra as diretivas. Organização diz que vai atuar, se necessário, no domingo.

No dia em que Lewis Hamilton cumpriu o seu papel e conquistou a pole position para a prova a decorrer no domingo, a organização do Grande Prémio de Fórmula 1 não cumpriu o seu e deixou que os espectadores se amontoassem em duas bancadas.

Com a segunda vaga da pandemia a fazer-se sentir, a Direção-Geral da Saúde não proibiu o público nas bancadas, tendo ordenado, na semana passada, a redução do número de espectadores de 38 mil para 27500. O Autódromo Internacional do Algarve tem capacidade para 90 mil pessoas.

Aquando do anúncio da revisão em baixo do público presente, Graça Freitas, a diretora-geral de Saúde, afirmou que "há um conjunto de regras que permitirá com segurança a realização deste Grande Prémio com público".

"Estará mantida a distância, não estão permitidos os cruzamentos entre pessoas, as aglomerações entre pessoas, a higiene está garantida, a ventilação existe porque é ao ar livre, a utilização de máscaras é obrigatória."

Mas não foi o que aconteceu no sábado, no momento em que o país está em situação de calamidade. O administrador do Autódromo Internacional do Algarve reconheceu ao Jornal de Notícias que o incumprimento das regras verificou-se em duas das 11 bancadas, com ajuntamentos de espectadores além do permitido.

Paulo Pinheiro prometeu para domingo um reforço de policiamento e o cumprimento das regras à risca. "Quem não cumprir o que está assinalado nas bancadas e sair do seu lugar vai imediatamente para a rua", disse o administrador do autódromo ao JN.

A 12.ª prova do Mundial de Fórmula 1 de 2020 é a 17.ª edição do Grande Prémio de Portugal e disputa-se este domingo no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

O governo estimou um impacto direto de 30 milhões de euros na economia.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG