Dois mortos em tiroteio entre adeptos na cidade que recebe final da Libertadores

A cidade de Lima foi palco de confrontos entre claques dos rivais Alianza Lima e Universitario a duas semanas da final entre Flamengo e River Plate. A capital peruana está em alerta máximo porque no dia do jogo entre brasileiros e argentinos realizam-se outros três eventos que vão movimentar multidões.

A noite de quarta-feira foi terrível em Lima, capital do Peru, com adeptos radicais dos clubes Alianza Lima e Universitario de Deportes a envolverem-se num tiroteio nas ruas a sul da cidade, que provocou dois mortos. E isto a duas semanas de ali se realizar a final da Taça Libertadores entre o Flamengo, de Jorge Jesus, e os argentinos do River Plate.

Os confrontos surgiram na sequência das comemorações do aniversário da principal claque do Alianza, no bairro de San Juan de Miraflores. "Dois jovens foram mortos após um confronto entre adeptos", disse a polícia peruana à agência AFP.

Foi um autêntico cenário de guerra, com os membros da claque do Universitario a fazerem a uma emboscada aos rivais do Alianza, tendo um dos jovens sido atingido com uma bala na cabeça. A partir daí gerou-se uma enorme confusão, com o arremesso de pedras e petardos entre elementos das duas fações, acabando por morrer outro jovem também com um tiro na cabeça. As duas vítimas tinham 18 e 22 anos e estavam envolvidos nos confrontos e de lados opostos.

Curiosamente, estes incidentes ocorreram apenas algumas horas de o Estádio Monumental de Lima - a casa do Universitario - ter sido designado como palco da final da Taça de Libertadores, marcada para o dia 23 de novembro, depois de a Conmebol ter decidido retirar o jogo de Santiago do Chile devido à crise socio-politica que se vive naquele país.

Este tipo de confrontos entre as claques dos dois clubes é já habitual. No dia 11 de agosto de 2018, no Estádio Nacional de Lima, onde costuma jogar a seleção peruana, confrontos entre adeptos nas bancadas acabou por provocar a morte a um agente da polícia devido a graves lesões sofridas durante esses tumultos. E já no passado dia 30 de setembro um homem morreu devido a um tiro e outro ficou ferido noutro confronto entre estas duas claques no dia do clássico entre Alianza e Universitario, razão pela qual a polícia admita que o episódio de quarta-feira tenha sido um ajuste de contas.

Lima, uma cidade em estado de alerta no dia da final

A final da Taça Libertadores vai fazer com que muitos adeptos do River Plate e do Flamengo se desloquem a Lima para assistir à partida, uma situação que está a deixar as forças policiais peruanas em alerta máximo, uma vez que nesse dia 23 de novembro a cidade será palco de outros três eventos que merecem grandes medidas de segurança. Trata-se de um festival de rock, um espetáculo de salsa e uma corrida noturna, que se vão realizar num raio de pouco mais de 20 quilómetros em torno do Estádio Monumental, o palco da final, onde a partida terá início às 15.00 horas locais (20.00 horas em Portugal continental).

O Festival Vivo X El Rock é anunciado em Lima como sendo o maior realizado no Peru e reunirá na Universidade de San Marcos (a 25 quilómetros do estádio) bandas como The Strokes, Slipknot, Interpol e o cantor argentino Fito Paez, muito popular na América Latina. Este evento realiza-se entre as 11.00 horas e prolonga-se pela madrugada.

Mais perto do placo da final (15 km), o Estádio Nacional vai acolher a 10.ª edição de Uma Noche de Salsa, considerado o espetáculo mais importantes e tradicional do Peru, que tem início às 18.00 horas e coincidirá com o final da partida entre Flamengo e River Plate.

Finalmente, à noite, na praia Agua Dulce, a 20 quilómetros do Monumental, realiza-se a corrida Lima Night Run, num trajeto de sete quilómetros, com início para as 20.00 horas, estando ainda previsto um espetáculo na zona da meta.

Com todos estes eventos durante esse sábado 23 de novembro, a polícia peruana está em alerta máximo para implementar medidas de segurança para que tudo decorra dentro da normalidade em todos os eventos que vão movimentar muita gente nas ruas de Lima. Contudo, os episódios de confrontos entre adeptos registados nos últimos dias começam a levantar alguns receios.

Exclusivos