Coreias empatam (0-0). Um jogo sem público e do qual quase nada se sabe

Sem jornalistas estrangeiros, com muito pouca informação e sem público nas bancadas do Estádio Kim Il Sung, a Coreia do Sul de Paulo Bento empatou sem golos em Pyongyang. Imagens televisivas do jogo só na quinta-feira.

O jogo histórico entre as duas Coreias, disputado nesta terça-feira em Pyongyang e relativo às eliminatórias asiáticas de apuramento para o Mundial 2022 terminou empatado sem golos. Mas pouco ou nada se sabe até ao momento do que se passou em campo, devido às restrições impostas pela Coreia do Norte, que não autorizou a transmissão do jogo, não permitiu a entrada de jornalistas estrangeiros nem de adeptos do sul. E também porque não houve espectadores no estádio Kim Il Sung a assistir a esta partida histórica.

No twitter da federação sul-coreana foi possível seguir o jogo com (poucas) informações. Foi adiantado o onze da Coreia do Sul logo de início, e ao intervalo um post a informar que o resultado estava 0-0. Também no site oficial da FIFA, que acompanha detalhadamente ao minuto todos os jogos, a informação era escassa. Sem uma única fotografia, apenas dados sobre as equipas que alinharam, cartões amarelos, substituições e pouco mais. No final do jogo a informação com o resultado final: 0-0.

Um conta de twitter de notícias sobre futebol sul-coreano, o Korea Football News, publicou uma fotografia já com o jogo a decorrer e com a seguinte legenda: "Sem espectadores em Pyongyang". E de facto pela foto vê-se o estádio sem público. Situação comprovada horas mais tarde com fotografias que começaram a cair nas agências internacionais, já após o jogo terminar, cedidas pela federação da Coreia do Sul.

De acordo com relatos da imprensa sul-coreana, a congénere do norte só vai libertar o vídeo do jogo no dia 17, ou seja, quinta-feira. Ainda segundo algumas notícias, a grande parte comitiva da Coreia do Sul foi impedida de entrar no país com aparelhos eletrónicos. Apenas 30 membros do staff tiveram permissão para entrar no país com algum tipo de material e autorização para enviar faxes para Seul a dar conta de como o jogo estava a decorrer.

Gianni Infantino, presidente da FIFA, terá assistido ao jogo no estádio, até porque fotografias publicadas na véspera da partida mostravam o dirigente em Pyongyang. Mas também neste caso não surgiu qualquer informação oficial.

O empate deixou as contas do grupo H iguais, ou seja, com as duas Coreias empatadas com os mesmos pontos (sete), embora a seleção do sul, treinada por Paulo Bento, seja líder devido à diferença de golos (10-0 contra os 3-0 da Coreia do Norte).

As duas Coreias defrontaram-se nesta terça-feira quase 30 anos depois - a última vez foi em outubro de 1990, um particular que terminou com o triunfo dos do norte por 2-1, numa iniciativa para promover a paz. O destino colocou os dois países no grupo H das eliminatórias asiáticas rumo ao Mundial 2022, onde também estão Líbano, Turcomenistão e Sri Lanka.

O desporto e a competição contribuíram nos últimos anos para a aproximação dos dois países, que em abril de 2018 reuniram-se na Zona Desmilitarizada da Coreia (ZDC), num encontro que juntou os líderes Kim Jong-un e Moon Jae-in e onde foi firmado um novo compromisso pela paz e pela desnuclearização da Península da Coreia, uma tentativa de pôr um ponto final no cenário de guerra técnica que dura desde o século passado - depois da guerra civil, em 1953, as duas Coreias assinaram um acordo de armistício para assegurar uma cessação completa das hostilidades e de todos os atos de força armada na Coreia até que uma solução pacífica final fosse alcançada.

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.