Classe de Jiménez e força de Traoré na vitória do Wolves sobre o City

Equipa de Nuno Espírito Santos esteve a perder por 2-0, mas acabou por dar a volta ao resultado e vencer o campeão por 3-2, em jogo da 19.ª jornada da Premier League. Ederson foi expulso e Rui Patrício defendeu dois penáltis... mas sofreu um golo na recarga.

Uma reviravolta emotiva. O Wolverhampton esteve a perder por 2-0, mas, a jogar com mais um, acabou por vencer o campeão Manchester City, por 3-2. Foi a quarta derrota da equipa de Guardiola, que assim se atrasou ainda mais na luta pela revalidação do título e olha a agora para o Liverpool a 14 pontos de distância no primeiro lugar.

O jogo da 19.ª jornada da Premier League começou frenético e com os guarda-redes em evidência. Primeiro foi Ederson, que na tentativa de travar Jota, que se isolava em direção à baliza, acabou expulso aos 12 minutos. A expulsão do ex-Benfica obrigou Guardiola a mexer na equipa, tirando Sergio Agüero para fazer entrar Claudio Bravo.

Foi já com o chileno na baliza que os wolves mostraram serviço. João Moutinho e Jiménez testaram os reflexos de Bravo antes de Mendy fazer o mesmo com o português Rui Patrício. O número 1 da baliza nacional foi a figura da primeira parte ao defender duas grandes penalidades e sofrer um golo na recarga.

Aos 24 minutos Riyad Mahrez sofreu falta na área. O VAR entrou em campo e assinalou grande penalidade a favor do City. Chamado a converter, Sterling viu Patrício defender. Só que o árbitro mandou repetir o lance. O guarda-redes português dos wolves voltou a repetir a façanha e também defendeu o segundo penálti, mas não evitou a recarga... e foi assim que o City (com Bernardo Silva no onze) se adiantou no marcador.

A jogar com mais um a equipa de Nuno Espírito Santo - apresentou um onze com os portugueses Patrício, Moutinho, Rúben Neves e Moutinho - superiorizou-se no jogo. Traoré, Jota, Moutinho e Rubén Neves tentaram o empate, mas o jogo foi para o intervalo com os citizens em vantagem no marcador.

No segundo tempo, Raheem Sterling apanhou a defesa do Wolverhampton a dormir e correu até à baliza para bater Patrício de novo, após passe em profundidade de Kevin De Bruyne. O 2-0 fez acordar os wolves, que diminuíram a desvantagem logo depois por Adama Traoré, num remate forte de fora da área. O francês esteve também no golo do empate ao obrigar Mendy a perder a bola e a servir Jiménez para o 2-2.

Nuno Espírito Santo festejou efusivamente e não era para menos. A equipa conseguia empatar o jogo depois de estar a perder por 2-0. A jogar com mais um jogador os wolves foram encostando o City à sua grande área e foi sem surpresa que deram a volta ao marcador aos 89 minutos. Um remate de Matt Doherty (após passe de calcanhar de Raúl Jiménez), desde o coração da área, fez a bola entrar junto ao poste esquerdo.

O jogo estava emocionante e não chegaria ao fim sem Sterling fazer tremer a barra da baliza de Rui Patrício, mas o resultado não se alterou.

Os citizens (38 pontos) perderam assim a oportunidade para ultrapassar o Leicester (39 pontos) na segunda posição e estão em terceiro. O Liverpool lidera, com 52 pontos e menos um jogo. Já os wolves, que na próxima jornada jogam com os reds, ocupam o quinto lugar, com 30 pontos, menos dois do que o Chelsea (32), e mais um do que Tottenham de Mourinho.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG