Um pedaço da história do futebol português que desaparece. Estádio Mário Duarte começou a ser demolido

Recinto que foi caso do Beira-Mar vai despedir-se dos adeptos no sábado. Quem quiser uma cadeira ou um pedaço de relva pode ir ao estádio buscar entre as 09.00 e as 12.00. A casa que foi de Eusébio vai dar lugar a um hospital.

O emblemático Estádio Mário Duarte, casa do Beira-Mar, em Aveiro começou esta semana a ser demolido. A causa é nobre e de interesse social - vai dar origem à ampliação do Hospital de Aveiro -, mas apaga do mapa um símbolo do futebol português. Um campo que também foi casa de Eusébio.

Oitenta e cinco anos depois de ser inaugurado, em 1935, para sentar 12 mil pessoas nas bancadas, o campo que já recebeu mais de dois mil jogos e foi pisado por grandes figuras do futebol português como como Eusébio, Coluna, Damas ou António Sousa vai deixar de existir.

Apesar da estrutura ter começado a ser demolida esta semana, o clube marcou uma cerimónia de despedida para sábado de manhã. "Para que todos possamos ficar com uma cadeira e um pouco de relva para recordação, em articulação com a Câmara Municipal de Aveiro e com o empreiteiro da obra de demolição, no próximo sábado, dia 20, entre as 09.00 e as 12.00, todos os sócios e adeptos poderão deslocar-se ao Estádio Municipal Mário Duarte para esse fim", anunciou Hugo Coelho, presidente do Sport Clube Beira-Mar.

Até agora, mesmo em posse do município, o estádio, que ganhou o nome de Mário Duarte em 1940, um ano após a morte do super-atleta natural de Anadía, era usado pelo equipa principal, do novo Beira Mar na I Divisão Distrital.

Para trás ficam as memórias de um estádio que ganhou estatuto de palco complicado por fazer a vida negra aos adversários, com o público a escassos metros das quatro linhas. Entre os jogos que ficam para a história está um jogado em 1973-74, que quase que tirava o título ao Sporting. Colorado tentou fazer um chapéu ao Damas mas a bola saiu por cima da baliza. Nesse jogo, dois jogadores do Sporting foram para o hospital e o Sporting viu-se aflito para empatar esse jogo (1-1).

Ou aquela meia-final da Taça de Portugal em que o Beira-Mar ganhou ao Boavista (2-0) e garantiu um lugar na final com o FC Porto, equipa que visitou o Mário Duarte em 1987 rotulado de campeão europeu e não conseguiu melhor que um empate a zero. "Viemos encontrar uma equipa de barba rija", desabafou o então treinador portista Artur Jorge.

Na história ficou também aquela goleada, por 9-0, do Benfica de Eusébio em 1966-67. O Rei marcou dois e Nélson Fernandes foi autor de um hat trick. Os outros golos foram de Raúl Machado, Simões e Isaúca. Depois disso, o Pantera Negra vestiu a camisola 10 do Beira Mar e levou sete mil pessoas ao estádio para o ver treinar. Depois, em 1977, marcou ao Sporting, antes de empatar com o Benfica (2-2), em Aveiro. Sim, o Estádio Mário Duarte foi casa de Eusébio.

A década de 90 foi dourada. A vitória na Taça de Portugal de 1998-99 levou a equipa aveirense à Europa, apesar de militar na Segunda Divisão, e trouxe jogos europeus ao Mário Duarte. O Beira-Mar de Fary foi afastado da Taça UEFA na primeira mão pelo Vitesse de Ronald Koeman, depois de perder em Aveiro (2-1) e empatar na Holanda (0-0).

Na época 2014-15 os problemas financeiros levaram a equipa aveirense às competições distritais. A SAD deixou de pagar as contas e o estádio ficou ao abandono, caindo nas mãos de um banco e os direitos de utilização do estádio passaram então da SAD de volta para o clube. No verão de 2015, a mão solidária de um grupo de adeptos devolveu a vida ao velhinho Mário Duarte., limpando, pintando e colocando um novo relvado. Mas aquilo que parecia um renascimento foi afinal uma morte anunciada. Apesar do município ter permitido o uso do campo por parte da equipa sénior em 2016-17, não demorou muito a tratar da cedência dos terrenos e da mudança do Beira-Mar para o Municipal de Aveiro.

O Beira-Mar contabiliza 27 presenças na I Liga e tem como melhor classificação o sexto lugar alcançado na temporada 1990-91. O maior feito da história do clube de Aveiro foi a conquista da Taça de Portugal na época 1998-99, quando venceu o Campomaiorense na final realizada no Jamor, por 1-0, com um golo de Ricardo Sousa, aos 70 minutos, numa equipa que era treinada pelo pai, António Sousa, ex-internacional português e jogador do FC Porto e Sporting.

As balizas vão dar lugar a salas de operações

Depois de ter estado previsto nascer uma urbanização com a construção de prédios de habitação a Câmara Municipal de Aveiro mudou o Plano de Pormenor para a área de forma a libertar os terrenos para a ampliação do Hospital de Aveiro. Para isso o município liquidou uma dívida do clube ao BPI, "no montante de 1.707.803,87Euros (acrescidos de 1.231,97Euros de juros e 44.004,29Euros de IMI) respeitantes à escritura de locação financeira na modalidade leasebeck assinada em 28 de agosto de 2003". A CMA já investiu 10 milhões de euros numa obra que custará 120 milhões de euros..

O protocolo entre a CMA e o Beira-Mar que foi assinado a 23 de setembro de 2016, definiu a entrega do antigo Estádio Mário Duarte pelo Beira-Mar à CMA, a utilização pelo Beira-Mar do novo Estádio Municipal de Aveiro que herdará o nome de Mário Duarte. Paralelamente o município assinou um memorando de entendimento com o Centro Hospitalar do Baixo Vouga, a Universidade de Aveiro e a Administração Regional de Saúde do Centro para a ampliação e a qualificação do Hospital de Aveiro / Infante D. Pedro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG