Benfica é quem mais jogadores empresta às cinco maiores ligas europeias

Estudo do Observatório do Futebol revela que o empréstimo de futebolistas aos clubes dos maiores campeonatos europeus cresceu nos últimos dez anos. Os encarnados são o maior fornecedor entre os emblemas dos chamados campeonatos periféricos.

O Benfica foi o clube das chamadas ligas periféricas da Europa que mais jogadores emprestou nas últimas dez épocas (entre 2009/10 e 2018/19) época a emblemas dos cinco principais campeonatos europeus - Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França - de acordo com um estudo do Observatório do Futebol, do Centro Internacional de Estudos do Desporto.

O clube da Luz cedeu 37 futebolistas, sendo o único fora dos Big 5 que surge numa lista dos 19 emblemas que mais fornecem jogadores por empréstimo a emblemas das cinco maiores ligas. O Benfica encontra-se no nono lugar do ranking, ao lado da Fiorentina, numa lista liderada pela Udinese que na última década realizou 62 empréstimos, completando o pódio o Chelsea (57) e o Inter Milão (53).

Entre as maiores ligações entre clubes, destaca-se a da Udinese ao Granada com 20 jogadores emprestados em dez anos, logo seguido das nove cedências que o Benfica fez ao Deportivo da Corunha no mesmo período de tempo. Na lista de relações próximas entre clubes, surge ainda a ligação dos encarnados ao Granada, clube ao qual cedeu cinco atletas.

Este estudo revela que é cada vez maior a necessidade de os clubes das cinco principais ligas receberem jogadores por empréstimo, uma vez que em 2009/10 a média estava em 2,3 futebolistas por ano, sendo que na época passada foi de 3,12. Uma tendência explicada pela necessidade de os clubes "fintarem" as regras do Fair-Play Financeiro da UEFA, que começaram a ser aplicadas em 2011/12, acrescentando que muitos clubes garantem jogadores por empréstimo, com opção de compra obrigatória no final de cada temporada, precisamente para "empurrar" essa saída de dinheiro para o ano fiscal seguinte.

A liga que mais recorre a jogadores emprestados é a Série A italiana, com uma média de 4,87 atletas por clube, seguido pela espanhola (3,85), a francesa (2), a inglesa (1.75) e a alemã (1.69).

O estudo indica ainda que o exagero no recurso a empréstimos não costuma dar bons resultados, uma vez que os cinco clubes que mais vezes o fizeram numa época foram despromovidos nos respetivos campeonatos. O recorde é do Granada, que em 2016/17 utilizou 19 jogadores e ficou em último lugar em Espanha. As outras vítimas da despromoção utilizando esta estratégia foram o Carpi (18 cedências) em 2015/16, Huesca (14) em 2018/19, Benevento (14) em 2017/18 e a Frosinone (14) em 2018/19).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG