Benfica contra a maldição alemã que só Jesus conseguiu quebrar

Para continuar a sonhar com a Champions, Benfica tem de vencer nesta quarta-feira o Leipzig. Nos 26 jogos disputados na Alemanha em provas europeias, águias só venceram dois com Jesus. Pior cenário pode até afastar já a equipa da Liga Europa.

O Benfica está obrigado a vencer nesta quarta-feira o RB Leipzig (20.00, TVI) para continuar a sonhar com os oitavos-de-final da Liga dos Campeões - e mesmo assim as contas são muito complicadas. Só que, historicamente, vencer na Alemanha em provas europeias é algo raríssimo na história do clube da Luz (na Champions nunca aconteceu). Nos 26 jogos disputados em solo alemão, o Benfica só venceu duas vezes (na Liga Europa). E em ambas o treinador era... Jorge Jesus, o técnico que atualmente é rei no Brasil e que orientou as águias entre 2009 e 2015.

O historial de confrontos do Benfica na Alemanha nas competições europeias começou em 1961-1962, precisamente numa temporada que terminaria com a conquista da Taça dos Campeões Europeus, com um triunfo por 5-3 na final contra o Real Madrid. Antes, contudo, nos quartos-de-final da prova, a equipa treinada por Béla Guttmann apanhou um valente susto, com uma derrota na Alemanha diante do Nuremberga, por 3-1. Foi a primeira de sempre em solo germânico, mas que no jogo da segunda mão as águias anularam, com uma goleada por 6-0 na Luz.

Seguiram-se 18 jogos sem qualquer vitória na Alemanha, até que na temporada 2010-2011, o Benfica de Jorge Jesus colocou um ponto final nesta maldição. Nos 16 avos-de-final da Liga Europa, as águias venceram por 2-0 no campo do Estugarda, com golos de Salvio e Óscar Cardozo. Nesse ano o clube da Luz chegaria às meias-finais, mas caíram perante o Sp. Braga.

Veja aqui os vídeos das duas únicas vitórias do Benfica na Alemanha.

A última vitória do Benfica em solo alemão aconteceu a 14 de fevereiro de 2013. Novamente nos 16 avos da Liga Europa e outra vez com Óscar Cardozo a ser decisivo, ao apontar o golo da vitória. Foi a temporada em que o Benfica atingiu a final da prova, mas onde acabou por cair diante do Chelsea, com o famoso golo de Ivanovic ao minuto 90'+3.

Desde este dia, os encarnados voltaram a cruzar-se com equipas germânicas em cinco ocasiões. E perderam todos os jogos, com destaque para as goleadas sofridas com o Bayern Munique - 4-0 em 2016-2017 na Liga dos Campeões e 5-1 na temporada seguinte na mesma competição.

Até a Liga Europa está em risco

O cenário não é por isso nada confortável. O Benfica joga nesta quarta-feira uma última cartada na Liga dos Campeões, na deslocação ao campo do RB Leipzig, líder do Grupo G, numa eliminatória em que uma derrota e um triunfo do Zenit sobre o Lyon no outro jogo do grupo hipotecam até a possibilidade de os encarnados chegarem ao terceiro lugar e à Liga Europa, o que, a acontecer, significaria o adeus às provas europeias nesta temporada.

É com esta conjuntura que o Benfica vai entrar nesta quarta-feira em campo na Red Bull Arena, diante do atual segundo classificado da Bundesliga, que vai numa sequência de cinco jogos só com vitórias (duas delas com goleadas de 6-1 e 8-0, respetivamente ao Wolfsburg e ao Mainz), e que conta no ataque com um dos avançados em melhor forma na atualidade - Timo Werner, 23 anos, que leva 16 golos marcados pela equipa alemã nos 18 jogos que realizou.

Aliás, o Benfica conhece bem este avançado alemão, já que no jogo da primeira mão, na vitória por 1-2 do Leipzig em pleno Estádio da Luz, foi Timo Werner o autor dos dois golos, os únicos do atacante nesta prova. Os restantes 14 golos foram marcados no campeonato alemão (12) e na Taça da Alemanha (2).

Este é o cenário mais pessimista. O mais otimista passaria por um triunfo na Alemanha por mais de dois golos de vantagem e pela vitória do Zenit, algo que a acontecer permitiria ao Benfica somar seis pontos e ficar em vantagem no confronto direto com o Leipzig. Depois teriam de vencer o Zenit na Luz na última jornada e esperar uma derrota dos alemães em Lyon ou que os franceses não somem mais do que um ponto nos dois jogos que lhes restam: em São Petersburgo e em casa com o Leipzig. Só assim a continuidade na Liga dos Campeões será possível.

Em caso de fracasso, é mais uma temporada em que o projeto europeu do Benfica tantas vezes evocado pelo presidente Luís Filipe Vieira é colocado em causa, com o clube a ficar de fora da Champions logo na fase de grupos pela terceira vez consecutiva.

Na época passada, o Benfica caiu logo na primeira fase, terminando o Grupo E (com Bayern Munique, Ajax e AEK Atenas) na terceira posição. A equipa ainda foi repescada para a Liga Europa, onde tombou nos quartos-de-final diante do Eintracht Frankfurt... da Alemanha.

Em 2017-2018, o descalabro foi total, com os encarnados a somarem a pior presença de sempre na prova, terminando a fase de grupos com zero pontos, atrás de Manchester United, Basileia e CSKA Moscovo.

"Não ter medo." O aviso de Lage aos jogadores

Para Bruno Lage, é fundamental que o Benfica esta noite concretize as oportunidades de golo criadas. "Primeiro temos de marcar nas oportunidades que criarmos. Isso é fundamental. E depois entender o que é o equilíbrio dos jogos. Tivemos a oportunidade de ver o Manchester City-Atalanta. Uma parte foi de uma equipa, a outra de outra. O equilíbrio é isto. Nós na primeira mão com o Leipzig tivemos duas boas oportunidades, não marcámos e depois ele fizeram golo", referiu.

O treinador do Benfica deixou a receita para a partida e revelou qual terá de ser a postura frente aos alemães. "Não ter medo. Foi isso que disse aos jogadores. Não podemos olhar para trás. O que perdemos está perdido, o que ganhamos está ganho. Temos de olhar para a frente sem receios, independentemente do nome do adversário e do nome da competição. Foi com esta mentalidade que fizemos a nossa reconquista no ano passado. Jogar olhos nos olhos tem sido a nossa forma de estar."

Em caso de vitória, o RB Leipzig assegura pela primeira vez no seu historial um lugar nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões - independentemente do que suceder no jogo entre o Zenit e o Lyon, a uma jornada do final da fase de grupos, os alemães ficam já pelo menos com o segundo lugar garantido.

"O Benfica foi a equipa que mais problemas nos colocou até agora. O Lyon ganhou em nossa casa, mas foi culpa nossa. É uma equipa com boas soluções e daquilo que vi não diria que as exibições tenham sido assim tão más. Creio que podiam ter mais pontos do que têm. É seguramente uma equipa muito forte. Talvez sejamos um pouco favoritos, mas às vezes David vence Golias", salientou o treinador Julian Nagelsmann, que espera um Benfica à procura de golos: "Vão jogar para ganhar, tudo o resto não faz sentido para eles. Não creio que o façam desde o início, mas seguramente que vão arriscar."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG