Agora é oficial. Lisboa recebe mini torneio e final da Champions

Organismo que rege o futebol europeu escolheu a capital portuguesa para a final eight equipas da prova rainha do futebol europeu. Guimarães e Porto poderão receber jogos que faltam dos oitavos de final

Lisboa vai receber todos os jogos que restam desta época Liga dos Campeões, incluindo a final. O Estádio da Luz substitui o Estádio Olímpico Ataturk, de Istambul, Turquia, como palco da final, mas o Estádio José Alvalade também vai receber jogos.

A decisão foi anunciada esta quarta-feira, na sequência de uma reunião do Comité Executivo da UEFA.

Porto e Guimarães também poderão ser palco dos encontros que faltavam dos oitavos de final (a 7 e 8 de agosto) se os estádios para onde os jogos estavam agendados não reunirem condições sanitárias.

Os quartos-de-final (12 a 15 de agosto), as meias-finais (18 e 19 agosto) e a final (23 agosto) serão disputados apenas a uma mão, ao contrário do que estavam previsto no início da temporada, entre 12 e 23 de agosto. Os jogos serão divididos pelo Estádio da Luz e o Estádio José Alvalade, com final a ser jogada no recinto do Benfica.

Atlético de Madrid, Atalanta, Leipzig e Paris Saint-Germain já estão apurados, faltando encontrar vencedor em quatro confrontos dos oitavos: Manchester City-Real Madrid, Juventus-Lyon, FC Barcelona-Nápoles e Bayern Munique-Chelsea.

Fernando Gomes enalteceu a decisão da UEFA e enalteceu o comportamento dos portugueses. "Receber os jogos decisivos da edição 2019-20 da Liga dos Campeões no nosso país é um acontecimento de um valor extraordinário para Portugal. Os jogos serão vistos por centenas de milhões de pessoas, contribuindo para sublinhar e reforçar a imagem positiva que Portugal deu ao Mundo durante um período que tem sido particularmente difícil e exigente para todos", afirmou o presidente da Federação Portuguesa de Futebol num comunicado publicado no site oficial da entidade que tutela o futebol nacional.

"FPF foi a primeira a oferecer ajuda"

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, disse que "a Federação Portuguesa de Futebol foi a primeira a oferecer ajuda" para receber a fase final da Liga dos Campeões de futebol em agosto, numa final a oito.

Ceferin esclareceu ainda que a decisão de atribuir à Alemanha os jogos derradeiros da Liga Europa, e a Espanha a Liga dos Campeões feminina, igualmente no formato inédito de final a oito, não se deveu "a uma luta", mas antes ao facto de terem sido as três federações que "disseram estar prontas para organizar uma competição".

Com um protocolo médico que inclui testes a jogadores e equipas técnicas a ser finalizado "nas próximas semanas", Ceferin garantiu não existir nenhum "plano B" e que a UEFA avalia a evolução da pandemia de covid-19 "dia a dia".

"Estamos em contacto constante com a FPF, que está em contacto com as autoridades portuguesas. As coisas parecem bem por agora, e esperamos que tudo esteja bem até à organização da final a oito. Para já, não há razão para um plano B, mas estamos a avaliar a situação dia a dia, e adaptar-nos-emos se necessário", acrescentou o presidente do organismo de cúpula do futebol europeu.

O esloveno falava em conferência de imprensa após uma reunião do Comité Executivo da UEFA, no qual foram tomadas várias decisões quanto às restantes competições europeias, suspensas ou adiadas devido à pandemia de covid-19.

Caberá ao Comité Executivo discutir, ainda, sobre a viabilidade de estes jogos receberem adeptos nos estádios, algo que, se "fosse decidido agora", seria pela porta fechada, ainda que a situação esteja "sempre a mudar".

"Temos de ver como será em agosto. Nessa altura, em que arranca a final a oito, terão passado quase dois meses desde hoje. Há dois meses, qual era a situação na Europa? Temos de esperar", atirou.

Mais tarde, quando questionado sobre se as equipas teriam de permanecer no país ou viajar entre jogos, o secretário-geral adjunto da UEFA, Giorgio ​​​​​​​Marchetti, confirmou que as mesmas "devem ficar no local", uma das razões pelas quais este formato foi escolhido para concluir a temporada 2019/20.

11.ª final europeia em Portugal

É a segunda vez que o Estádio da Luz recebe o jogo decisivo da Liga dos Campeões, depois da final de 2013-14, quando o Real Madrid de Ronaldo, Coentrão e Pepe bateu o Atlético. O jogo foi histórico e deixou a Luz ligada a La Décima (a décima Champions) dos merengues. Um jogo emocionante decidido no prolongamento depois de um golo de Sergio Ramos em cima do minuto 90 ter negado ao Atlético o seu primeiro título de campeão europeu.

Lisboa foi ainda palco de uma final da Taça UEFA de má memória para os leões, quando o Sporting perdeu com o CSKA Moscovo e viu fugir o troféu em 2004-05. E de uma final da já extinta Taça das Taças em 1991-92, quando o antigo Estádio da Luz viu o Werder Bremen derrotar o Mónaco de Rui Barros.

Antes dessa final, Portugal só tinha recebido a final da mais importante prova europeia de clubes por uma vez. Foi em 1966-67, no Estádio Nacional, no Jamor, quando o Celtic bateu o Inter de Milão para garantir a orelhuda. Ainda hoje os jogadores da equipa escocesa são conhecido como os Leões de Lisboa e todos os anos no dia de aniversário da final, os adeptos fazem peregrinação ao local do jogo no Jamor.

A final da Liga dos Campeões de 2019/20, atribuída ao Estádio da Luz, será a 11.ª final europeia a realizar-se em Portugal e a sétima na região da grande Lisboa.

Além das já citadas, o Euro 2004, e os estádios construídos para a competição em que Portugal chegou à final, trouxe outro embate decisivo para a capital lusa, para o Estádio da Luz, a 4 de julho.

Outro recinto do Euro 2004, o Estádio do Bessa, no Porto, recebeu a final do campeonato da Europa de sub-21 de 2006, a 4 de junho, quando os Países Baixos conquistaram o título, ao derrotarem a Ucrânia, por 3-0.

Em 2019, a seleção portuguesa somou o seu segundo título sénior europeu, ao vencer a final da primeira final da Liga das Nações, cuja final four se disputou em Guimarães e no Porto, com a equipa das quinas a derrotar a Holanda (1-0) no Estádio do Dragão.

Nos escalões jovens, Portugal também recebeu duas finais, e venceu ambas, a primeira em 1961, quando conquistou o Europeu de sub-18, ao vencer a Polónia por 4-0, no antigo Estádio da Luz, em Lisboa, e a segunda em 2003, no Estádio do Fontelo, em Viseu, onde derrotou a Espanha por 2-1, no embate decisivo do campeonato da Europa de sub-17.

A possibilidade da capital portuguesa receber jogos das principais equipas europeias em Portugal deixou os responsáveis desportivos e governamentais em êxtase. A iniciativa da Federação Portuguesa de Futebol envolveu os clubes de Lisboa (Benfica e Sporting), a Câmara Municipal de Lisboa, o Governo e até o Presidente da República, que há duas semanas antecipava uma boa notícia para agosto, referindo-se à final da Champions.

Dragão perde Supertaça Europeia

Por outro lado, a A Supertaça Europeia vai ser disputada em Budapeste, em 24 de setembro, em detrimento do Estádio do Dragão, no Porto, anunciou esta quarta-feira a UEFA.

O embate entre o vencedor das edições de 2019/20 da Liga dos Campeões e da Liga Europa estava marcado para o recinto azul e branco em 12 de agosto, tendo sido adiado, devido ao prolongamento da temporada devido à pandemia de covid-19, e remarcado para a capital da Hungria.

Liga Europa decidida na Alemanha

A Liga Europa vai ser concluída entre 5 e 21 de agosto através de eliminatórias de apenas uma mão, em quatro cidades da Alemanha, e a final a ter lugar em Colónia, anunciou a UEFA.

Duisburgo, Dusseldorf e Gelsenkirchen são as restantes cidades a acolher partidas dos quartos-de-final e meias-finais da segunda competição continental europeia de clubes.

A UEFA ainda não decidiu, porém, se os encontros da segunda mão dos oitavos de final, que foram suspensos devido à pandemia de covid-19, vão ocorrer em estádios alemães ou nos recintos dos clubes anfitriões.

Os embates cuja partida da primeira mão foi também suspensa, nomeadamente o Inter Milão-Getafe e o Sevilha-Roma, serão também decididos em apenas um jogo disputado em recinto a confirmar.

Os desafios em falta dos oitavos de final terão lugar a 5 e 6 de agosto às 17.55 e 21.00 (horas em Lisboa), seguindo as equipas apuradas para a Alemanha, a fim de disputarem os quartos de final (10 e 11 de agosto), as meias-finais (16 e 17 de agosto) e a final (21 de agosto), que terão sempre início às 20:00.

A Liga Europa foi suspensa em 12 de março, devido à pandemia de covid-19, momento em que faltavam disputar as duas mãos do Sevilha-Roma e do Inter Milão-Getafe, além da segunda mão de Manchester United-LASK Linz (5-0 na primeira mão), Basileia-Eintracht Frankfurt (3-0), Copenhaga-Istambul Basaksehir (0-1), Shakhtar Donetsk-Wolfsburgo (2-1), Bayer Leverkusen-Rangers (3-1) e Wolverhampton-Olympiacos (1-1).

O sorteio dos quartos de final e das meias-finais terá lugar em 10 de julho, na sede do organismo que rege o futebol europeu, em Nyon, na Suíça.

O Comité Executivo da UEFA aprovou também um calendário revisto para a edição de 2020/21 da Liga Europa, cuja final vai ser disputada no Estádio de Gdansk, na Polónia, cidade que iria receber o encontro decisivo esta época.

As cidades anfitriãs das finais seguintes também acederam a adiar em um ano a organização do evento: Sevilha, em Espanha, recebe a final de 2022 no Estádio Sánchez-Pizjuán, enquanto Budapeste vai acolher a partida decisiva na Puskás Arena em 2023.

João Félix espera companhia portuguesa na final a oito em Portugal

A Champions foi interrompida numa altura em que os efeitos do covid-19 já se faziam sentir em alguns país. Jogos como o do Atalanta com o Valência ou o do Atlético de Madrid com o campeão europeu Liverpool foram mesmo apelidados de bombas atómicas de contágio e levaram a UEFA a suspender os jogos da segunda mão dos quatro jogos que faltavam jogar: Real Madrid-Manchester City (1-2 na primeira mão), Chelsea-Bayern Munique (0-3), Juventus-Lyon (0-1) e Nápoles-Barcelona (1-1).

Sem equipas portuguesas em competição, estão já apurados para os quartos-de-final o PSG, a Atalanta, o Atlético de Madrid, e o Leipzig. João Félix é para já o único português garantido na fase final, mas a presença portuguesa será de pelo menos três, uma vez que há dois duelos entre equipas com jogadores portugueses. Ronaldo (Juventus) ainda vai enfrentar Anthony Lopes (Lyon) e Mário Rui (Nápoles) ainda vai jogar com Nélson Semedo (Barcelona), Depois há ainda João Cancelo e Bernardo Silva no Manchester City, com possibilidade de seguirem em frente.

DGS deu aval e jogos poderão ter público se a UEFA quiser

"A Direção-Geral da Saúde está envolvida no apoio à candidatura portuguesa à organização da final a oito da Liga dos Campeões", comunicou a autoridade de saúde, assumindo "confiar na existência de todas as condições para receber este evento desportivo em Portugal". A DGS deu a retoma do campeonato como exemplo. "A DGS considera que, fruto do trabalho que tem sido desenvolvido com a FPF e a Liga [de clubes] e da experiência do desenrolar da principal competição de futebol nacional, se encontram reunidas todas as condições para o acolhimento do referido evento em Portugal", sublinhou, assegurando a disponibilidade "para a continuação da articulação entre as entidades promotoras deste evento e as autoridades de saúde".

Quanto ao público nas bancadas é uma questão ainda a discutir. A DGS deu aval à retoma da I Liga sem público nas bancadas, mas a UEFA já admitiu que os jogos da Champions podem vir a ter público.

Benfica joga Youth League entre 16 e 25 de agosto

A UEFA Youth League, competição em que ainda se encontra o Benfica, vai ser concluída entre 16 e 25 de agosto, data da final, em Nyon, na Suíça, confirmou esta quarta-feira a UEFA, o organismo regulador do futebol europeu.

Segundo a nota publicada no sítio oficial da UEFA, a prova interrompida em 18 de março, devido à pandemia de covid-19, vai ser reatada com o jogo dos oitavos de final entre a Juventus e o Real Madrid, a 16 de agosto, num campo instalado na cidade onde está sediado o organismo europeu.

O outro desafio por realizar nessa fase, entre o Rennes (França) e o Inter de Milão (Itália), está pendente da decisão quanto ao "processo disciplinar" aberto pela UEFA contra o Inter, que anunciou a desistência da competição devido à covid-19.

Os quartos de final, que incluem o duelo entre o Benfica e o Dínamo de Zagreb (Croácia), estão agendados para 18 e 19 de agosto, estando ainda previstos os embates entre Midtjylland (Dinamarca) e Ajax (Holanda), entre Salzburgo (Áustria) e Lyon (França) e ainda entre os vencedores das partidas dos oitavos de final que restam.

Caso ultrapasse os croatas, a equipa encarnada, treinada por Luís Castro, vai defrontar o Midtjylland ou o Ajax no dia 22 de agosto, em Nyon.

A final, que vai decidir o sucessor do FC Porto como detentor do título, está agendada para 25 de agosto.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG