Vitamina TT para matar saudades de um clássico no Restelo

Sporting venceu o Belenenses com dois golos de Tiago Tomás, um de Jovane e outro de Nuno Santos (4-0). Pedro Porro saiu lesionado do encontro da Taça de Portugal.

Bola ao centro e golo! Mal deu para matar saudades do Estádio do Restelo e já o Sporting se adiantava no jogo. Um golo de Tiago Tomás, que travou um intenso duelo com o guarda-redes Marcelo Valverde até ao fim do jogo, deu algum sossego a Rúben Amorim, o treinador leonino que se fez jogador muito por culpa do emblema da Cruz de Cristo.

O sorteio da Taça de Portugal fez reviver um dos duelos com mais história no futebol português. Esta sexta-feira, no 249.º encontro entre as duas equipas lisboetas... venceu o Sporting (4-0). Há quatro anos que não se viam em campo, por culpa da fusão e posterior divórcio entre clube e SAD (joga na I Liga). E a avaliar pelo apoio vindos das bancadas os adeptos do clube parecem ter tomado partido nessa guerra a favor dos azuis do Restelo em vez dos azuis que jogam no Jamor.

Com Gonçalo Inácio e Pedro Gonçalves de regresso à titularidade, o treinador leonino estreou ainda os jovens João Virgínia (na baliza) e Gonçalo Esteves (no corredor direito). Do outro lado, Clé esteve em dúvida, mas recuperou a tempo e foi titular, relegando Herlander Tomé para o banco. Ricardo Pereira jogou e homenageou o ex-colega Alex Apolinário, usando na camisola as iniciais do nome do malogrado herói do Alverca, que morreu em janeiro, depois de cair inanimado em campo durante um jogo, e que há dois anos tinha marcado um golo e ajudado o Alverca a eliminar o Sporting.

O primeiro tempo foi entretido e com claro ascendente dos leões sobre a equipa do quarto escalão do futebol português (Campeonato de Portugal), que teve de tentar encontrar o equilíbrio emocional e posicional assim que sofreu o golo aos dois minutos. Chegar ao intervalo a perder apenas por um golo foi um prémio para a turma de Nuno Oliveira que aguentou a intensidade foi alta.

Motivados pelo grande ambiente que vinha das bancadas, os jogadores do Belenenses iam galgando metros e se Clé não tem falhado o voo para o golo a história do jogo podia ser diferente. Assim, foi Tiago Tomás a mergulhar entre os centrais para o 2-0 aos 69 minutos. Foi o primeiro bis da carreira do jovem avançado leonino, que assim deu tranquilidade ao intranquilo Rúben Amorim.

Logo depois o jogo esfriou e descambou...

André Frias mal entrou em campo fez uma falta desnecessária que tombou Pedro Porro. O rosto de dor do espanhol deixa muitas dúvidas sobre a gravidade da lesão que pode ter sofrido. Frias foi assobiado até ser expulso... Antes Jovane fez o 3-0 de grande penalidade e logo depois Frias cometeu nova grande penalidade... para Nuno Santos fazer o quarto da marca dos 11 metros.

E assim, mais uma vez a equipa que tinha obrigação de ser superior em campo foi e venceu apesar de deixar sonhar o Belenenses durante 70 minutos. Os leões seguem assim na Taça de Portugal e o clube do Restelo ganhou mais fora de campo do que o que perdeu dentro das quatro linhas. Como disse o presidente Patrick Morais de Carvalho na entrevista que deu ao DN, o jogo com o Sporting valia mais do que mil processos em tribunal para acordar de vez o gigante da Cruz de Cristo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG