Uma vitória que de tão fácil até fez lembrar um célebre jogo no Jamor

Benfica teve pela frente um Marítimo que chegou a ter momentos patéticos a defender e aproveitou para vencer por 7-1, mantendo a perseguição aos dois primeiros

O Benfica mantém a perseguição a FC Porto e Sporting, depois de vencer na Luz o Marítimo de forma categórica, por 7-1. Rafa foi a figura do jogo, ao realizar quatro assistências. As águias tinham pela frente uma equipa que, apesar da curta amostra de três jogos, tinha obtido bons resultados com o novo treinador Vasco Seabra - duas vitórias e um empate. No entanto, a avaliar pelo pobre desempenho de ontem, os madeirenses ainda terão de melhorar muito, pois a sua prestação defensiva chegou a ter momentos caricatos. A fazer lembrar o recente B SAD-Benfica, no Jamor, que acabou aos 48 minutos, com 7-0 para os encarnados. Ao contrário dos azuis, os madeirenses não alinharam com nove jogadores, mas em muitos momentos do jogo pareceu que sim.

Jorge Jesus, que não esteve no banco, cumprindo castigo aplicado pelo Conselho de Disciplina da FPF, apresentou o onze do costume. A dúvida costuma ser entre Everton e Yaremchuk e desta vez foi o ucraniano o escolhido. O Benfica não podia desejar melhor começo, pois aos 3 minutos já vencia, golo apontado por Darwin Núñez, após jogada rápida de ataque com Rafa. O Marítimo reagiu nos minutos seguintes com duas aproximações que levaram algum perigo junto da baliza de Vlachodimos, mas os lisboetas revelavam muito mais eficácia e aos 19", no terceiro remate que efetuou, todos por Darwin Núñez, voltaram a marcar, com o avançado a cabecear sem hipóteses para Paulo Victor, na sequência de excelente cruzamento de João Mário. E já lá vão 18 golos do uruguaio em jogos oficiais, 13 na I Liga, tendo sido a quinta assistência da temporada do médio ex-Sporting. Em toda a temporada passada só tinha feito duas pelos leões.

O Benfica estava nas suas sete quintas, aproveitando perdas de bola disparatadas dos jogadores do Marítimo a meio-campo para fazer transições rápidas que levavam perigo junto da baliza dos visitantes. A defesa dos visitantes era um autêntico passador e o exemplo mais significativo da péssima forma como (não) defendia surgiu no lance do 3-0, aos 34", com dois jogadores do Benfica a surgirem completamente isolados em posição de marcar. A bola sobrou para Gilberto, que não desaproveitou e "fuzilou" Paulo Vítor, voltando a mostrar a sua veia goleadora, faturando pela quarta vez em partidas oficiais na atual temporada.

Tantas facilidades para a águia...

Os madeirenses estavam completamente atarantados e o melhor que lhes podia acontecer era a chegada do intervalo, tal a quantidade de lances perigosos protagonizados pelos encarnados. No final da primeira parte o marcador mantinha-se em 3-0. Mas a verdade é que logo no terceiro minuto da etapa complementar o Benfica já festejava o 4-0, com Rafa a finalizar com grande classe, efetuando um pequeno chapéu ao guardião dos visitantes. E a toada mantinha-se, com os jogadores da casa a fazerem o que queriam perante uma defesa do Marítimo que não parava de cometer disparates. O 5-0 apareceu aos 57', com Yaremchuk, assistido por Rafa, a ter uma finalização muito fácil, de pé direito, na pequena-área.

Com o jogo tão fácil, Jorge Jesus aproveitou para poupar Grimaldo e João Mário, substituindo-os por Morato e Taarabt aos 67'. O ritmo claramente mais baixo apresentado pelo Benfica desde meio do segundo tempo não foi impedimento para que os lances de perigo se sucedessem junto da baliza dos madeirenses. Valeu à equipa de Vasco Seabra a falta de pontaria de Yaremchuk e Rafa. Nesta fase, o Marítimo teve também algumas aproximações perigosas à baliza de Vlachodimos e conseguiram fazer o golo de honra por Alipur, aos 82'. Mas ainda houve tempo para o recém-entrado Gonçalo Ramos estrear-se a marcar pelo Benfica esta temporada e para Seferovic estabelecer o 7-1 final.

A equipa de Jorge Jesus só conseguiu manter a baliza a zeros em cinco das 15 jornadas do campeonato, tendo sofrido 12 golos. Por outro lado, mantém o estatuto de melhor ataque, com 46 golos em 15 partidas, revelando pontaria afinada a poucos dias de visitar o Dragão em dose dupla. O primeiro encontro será já na quinta-feira, a contar para a Taça de Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG