Sterling dá vitória à Inglaterra frente à Croácia

Ingleses marcaram aos 57 minutos e seguraram os três pontos em Wembley. Bellingham tornou-se no atleta mais jovem de sempre a jogar num Europeu.

Um golo solitário de Raheem Sterling permitiu este domingo à Inglaterra entrar pela primeira vez a vencer num Europeu de futebol, ao derrotar em casa a vice-campeã mundial Croácia, por 1-0, no arranque do grupo D da edição de 2020.

Perante 18.497 espetadores, no Estádio de Wembley, em Londres, num jogo em que o português João Pinheiro desempenhou as funções de assistente de vídeoárbitro (VAR), o extremo marcou, aos 57 minutos, e quebrou a tendência nas estreias das duas seleções.

Se a malapata britânica durava há 53 anos, fruto de cinco empates (1980, 1992, 1996, 2012 e 2016) e quatro derrotas (1968, 1988, 2000 e 2004), a 'vatreni' estava invencível nesse registo, com quatro triunfos (1996, 2008, 2012 e 2016) e uma igualdade (2004).

A Inglaterra 'vingou' a meia-final do Mundial2018 (1-2, após prolongamento) e subiu à liderança do grupo D, com três pontos, enquanto a Croácia é última, sem pontos, sendo que Escócia e República Checa irão concluir esta jornada inaugural na segunda-feira.

Apesar de terem abdicado dos canhotos Ben Chilwell e Luke Shaw para adaptar Kieran Trippier na ala esquerda, os britânicos, com Jack Grealish no banco e Jadon Sancho na bancada, impuseram-se desde cedo na pressão e assinaram um arranque acutilante.

Aos seis minutos, Raheem Sterling aproveitou um rápido lançamento lateral de Trippier ainda no seu meio-campo para acelerar pelo miolo e libertar na direita Phil Foden, que encarou Josko Gvardiol e rematou em arco ao poste da baliza de Dominik Livakovic.

O guarda-redes croata estaria em evidência três minutos depois, quando protagonizou uma defesa de recurso a um 'disparo' rasteiro de fora da área de Kalvin Phillips, dando sequência à interceção de Andrej Kramaric ao canto na esquerda de Mason Mount.

O jogo parecia vaticinado a um domínio incontestado da Inglaterra, mas as suas rápidas transições foram deixando de surtir efeito e a Croácia soube abrandar em posse o ritmo atacante da formação dos 'três leões', equilibrando as operações na zona intermediária.

Só que a escassa profundidade ofensiva limitou a progressão no último terço e deixou Jordan Pickford relaxado até ao intervalo, contexto que Ivan Perisic tentou contrariar aos 27 minutos, ao emendar por cima um cruzamento atrasado na direita de Sime Vrsaljko.

A 'vatreni' aparentava trazer maior confiança para o reatamento, expressa num pontapé de longe de Luka Modric, para defesa de Pickford, aos 55 minutos, até por beneficiar de algum adormecimento dos anfitriões, que despertariam subitamente na jogada seguinte.

Com Kalvin Phillips a escapar pela direita nas costas de Mateo Kovacic e a livrar-se de Duje Caleta-Car, Harry Kane arrastou a marcação de Domagoj Vida e desbravou espaço para a entrada em diagonal de Raheem Sterling, que revelou frieza perante Livakovic.

A vantagem dos pupilos de Gareth Southgate levou Zlatko Dalic a inverter o triângulo do meio-campo, para incluir o criativo Nikola Vlasic, mas essa reação ficou-se por um 'tiro' ao lado de Ante Rebic, aos 65 minutos, longe do estatuto de um vice-campeão do mundo.

Já a Inglaterra foi espreitando o golo da tranquilidade através de uma perdida clamorosa ao segundo poste de Harry Kane, aos 61 minutos, a cruzamento na esquerda de Mount, que cobrou um livre alto, aos 67, e observou novo 'disparo' por cima de Sterling, aos 74.

Mesmo sem essa estocada final, a Croácia foi incapaz de incomodar Jordan Pickford até ao apito final, numa partida que tornou Jude Bellingham no mais jovem de sempre a disputar um Europeu, com 17 anos e 349 dias, suplantando o holandês Jetro Willems.

Esta partida ficou marcada pela estreia de Jude Bellingham (Borussia Dortmund) na equipa inglesa, que assim se tornou no atleta mais jovem de sempre a jogar numa fase final de um Europeu, com 17 anos e 349 dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG