Bruno de Carvalho vai pedir nova Assembleia Geral

Presidente do Sporting ataca Jaime Marta Soares: "criou a maior confusão vista na história do Sporting"

O Presidente do Sporting vai pedir uma nova Assembleia Geral "para os sócios se voltarem a pronunciar" sobre a sua direção e também sobre a presidência da mesa da Assembleia Geral, em resposta a Jaime Marta Soares, que esta manhã pediu a sua demissão porque "com Bruno de Carvalho não há paz" no clube.

A resposta de Bruno de Carvalho surgiu em "4 notas" no Facebook, na manhã desta segunda-feira, abordando mais uma vez o atual momento do Sporting e dedicando o maior pedaço do texto a Jaime Marta Soares. O líder leonino diz que o presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting "criou a maior confusão vista na história do Sporting ao conduzir de forma infantil e incompetente" uma assembleia geral. "Com essa sua atuação provocou a necessidade na Direção de fazer uma nova AG e eu a vir a público a defender um homem que não tem defesa possível. Este foco de problemas vem agora ameaçar-me", lê-se.

Eu tinha-o avisado que mais uma dele e quem pediria a sua saída seria eu e não só os sócios como o fizeram de forma esmagadora só o mantendo porque eu o pedi

"Eu tinha-o avisado que mais uma dele e quem pediria a sua saída seria eu e não só os sócios como o fizeram de forma esmagadora só o mantendo porque eu o pedi. Escusa de reunir a MAG, que se diga nunca se reviu nele nem esteve a seu lado, pois serei eu a pedir novamente à Direção para se fazer uma AG para os sócios se voltarem a pronunciar sobre nós e neste momento, separadamente, sobre os Presidentes da MAG e do CFD. Se os sócios não tiverem a memória curta sairá pela porta pequena como em Poiares [onde Marta Soares foi presidente da Câmara Municipal]", acrescenta o presidente do Sporting.

No domingo, após a vitória da equipa de futebol do Sporting frente ao Paços de Ferreira, por 2-0, num jogo em que os jogadores leoninos foram aplaudidos e o presidente assobiado, Bruno de Carvalho acusou os adeptos verde e brancos de serem "ingratos e de memória curta", remetendo os pedidos de demissão para as reuniões magna do clube.

A tensão surgiu depois de Bruno de Carvalho ter criticado as exibições de alguns jogadores do Sporting, a seguir à derrota no estádio do Atlético de Madrid (2-0), na Liga Europa. Na sexta-feira, 19 jogadores do plantel, entre os quais Rui Patrício, William Carvalho, Fábio Coentrão, Coates, Gelson Martins e Bruno Fernandes, divulgaram um comunicado em que manifestaram "desagrado" com as críticas do presidente do clube.

Em resposta, Bruno de Carvalho partilhou um texto no Facebook, visível para os seus amigos na rede social, em suspendia os jogadores que subscreveram um comunicado e fazia saber que teriam de enfrentar a disciplina do clube.

No sábado, o treinador da equipa, Jorge Jesus, afirmou que os futebolistas não receberam qualquer nota de suspensão por parte do clube e garantiu que Bruno de Carvalho lhe deu "liberdade para convocar os jogadores" que entendesse para o jogo de domingo com o Paços de Ferreira, da 29.ª jornada da I Liga, o que aconteceu, com os leões a vencerem por 2-0.

Antes do encontro, Bruno de Carvalho voltou a colocar um post no Facebook a criticar os futebolistas, afirmando que "serão mantidos os processos disciplinares" aos jogadores, que mancharam "o bom nome do presidente e do clube".

Com Lusa

Ler mais

Exclusivos