Rui Costa candidato: "Jamais deixaria de responder à chamada"

Ex-jogador é candidato à presidência do Benfica. Apresenta-se a votos pela primeira vez em nome próprio. Ato eleitoral marcado para dia 9 de outubro. Entrada na Champions e bom momento da equipa afastaram os opositores.

Foi "com o Benfica no coração" que Rui Costa anunciou a candidatura à presidência do clube. A oficialização da ida a votos foi feita esta segunda-feira, a 18 dias do ato eleitoral (9 de outubro), numa declaração sem direito a perguntas e sem mencionar Luís Filipe Vieira (mais uma vez). Para já é o único a ter formalizado a intenção de ir a votos e sob o lema Por todos, com todos, pelo Benfica!

"São muitas as razões que me levam a avançar. Não será surpresa se disser que respiro Benfica desde que nasci. Faz amanhã (hoje) 30 anos que fiz o primeiro jogo [na equipa principal], um dia que nunca esquecerei. Foi no Benfica que me fiz homem e vivi os melhores momentos da minha vida. Este é um dos momentos mais desafiantes da história do clube e eu jamais poderia deixar de responder a esta chamada", disse o agora candidato a presidente do clube da Luz.

Apresenta-se "com a ambição de conduzir o Benfica ao caminho da glória" e "convicto" de que irá "construir um futuro ainda mais radioso" e sem esquecer a história e o presente ímpares: "Vencer é sempre a minha maior exigência, a mesma que tive quando vesti o manto sagrado."

Rui Costa compromete-se a dedicar toda a "energia" para que o clube continue no caminho das vitórias e promete trabalho, rigor e proximidade com os sócios se for eleito.

Acusado pelos contestatários de ser fiel ao Vieirismo que liderou o Benfica nas últimas duas décadas, o vice-presidente demissionário manteve os nomes da lista que o acompanhará em segredo e prometendo revelar o programa e a lista em breve. Fica assim a dúvida sobre se os vice-presidentes José Eduardo Moniz, Jaime Antunes e Fernando Tavares fazem parte das suas escolhas. E Varandas Fernandes, Almeida Lima, Sílvio Cervan, Rui Paço e Fonseca Santos (Conselho Fiscal)? As mudanças podem acontecer na liderança da Mesa da Assembleia Geral, com o muito contestado Pires de Andrade de saída.

De jogador a presidente

Tinha 9 anos quando entrou na Luz pela primeira vez pela mão de Eusébio. Rui Costa tornou-se símbolo do clube e ganhou o cognome de "maestro". Despediu-se dos relvados em lágrimas a 11 de maio de 2008. Três dias depois estava a entrar na Luz de fato, gravata e pasta em punho para ser diretor desportivo. A 9 de julho entrou no Estádio da Luz como presidente, depois de Luís Filipe Vieira ter renunciado ao cargo, na sequência da detenção no âmbito da Operação Cartão Vermelho.

Esteve 13 anos ao lado de Vieira com a pasta do futebol, mas só nas eleições do ano passado integrou a lista como vice-presidente, cargo que seria trampolim para chegar à presidência na ausência forçada do ex-presidente. Demitiu-se há dias para provocar eleições antecipadas e ir a votos em nome próprio.

Quem vai e quem não vai a votos

O prazo final para a entrega de listas é no dia 29 e Francisco Benítez do movimento Servir o Benfica também manifestou o desejo de ser candidato, estando em fase de recolha das candidaturas. O outro movimento de sócios - Benfica Bem Maior - liderado pelo ex-dirigente Braz Frade, irá pronunciar-se nos próximos dias.

A entrada da equipa de futebol na Champions e o bom momento na I Liga afastam mais candidaturas. Têm ainda a palavra António Simões e Bagão Félix, ambos desafiados por grupos de sócios para avançar, mas inclinados para o não fazer. Rui Gomes da Silva ainda não se manifestou claramente sobre uma não ida a votos, mas com tão pouco tempo para formalizar uma candidatura - prazo termina daqui a sete dias - é indicador da não ida a votos. Bruno Costa Carvalho voltou a queixar-se da mudança de estatutos que o impede de ir a votos como deseja - precisa de ter 25 anos de sócio.

Já João Noronha Lopes, que no ano passado foi a votos contra Luís Filipe Viera e obteve 34, 71% dos votos, afastou-se de uma eventual candidatura na semana passada. Depois foi à assembleia geral da semana passada dizer que discordava do timing das eleições, que não apoiava Rui Costa e que continuará a ser voz ativa na oposição.

Nessa mesma reunião magna o agora candidato Rui Costa recusou o cognome de príncipe herdeiro de Vieira. "Nunca quis nem serei um príncipe herdeiro de nada. Estou aqui pelo Sport Lisboa e Benfica. Podem colocar em causa muita coisa sobre mim, se tenho capacidade, se não tenho capacidade, têm toda a legitimidade para isso, mas não podem pôr o meu benfiquismo e o que sou para este clube", atirou o líder das águias na primeira vez que enfrentou s perguntas e alguma ira dos associados.

244 065 sócios escolhem dia 9 de outubro

No dia 9 de outubro (exatamente um ano depois de Luís Filipe Vieira ser reeleito para um sexta mandato) os sócios são chamados de novo às urnas. Segundo o Relatório e Contas do Benfica, a 30 de junho de 2021 o clube tinha 244 065 sócios ativos. Para poderem votar têm de ter as quotas em dia. O voto físico volta a ser o método escolhido, 18 anos depois de ser substituído pelo voto eletrónico presencial. Haverá urnas de votos em todos os distritos para permitir que todos votem.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG