Rúben Amorim: "O processo disciplinar? Às vezes custa-me entender"

O treinador do Sporting reencontra este sábado o Sp. Braga, naquele que será o primeiro jogo da I Liga de 2021. "Somos capazes de vencer qualquer equipa", avisou.

O Sporting-Sp. Braga é o primeiro jogo da I Liga em 2021 e está marcado para este sábado, às 18.00 horas, em Alvalade. Trata-se de um jogo que Rúben Amorim, treinador dos leões, assume que será "complicadíssimo". "O Braga tem um excelente plantel, um bom treinador, mas estamos preparados para o jogo. Somos uma equipa que sabe jogar com os momentos do jogo. Temos alguma inexperiência, mas temos sabido adaptar-nos", assumiu.

Só que a primeira notícia do ano para o treinador do Sporting não foi a mais feliz, pois ficou a saber que o Conselho de Disciplina da Federação Protuguesa de Futebol decidiu instaurar-lhe um processo disciplinar por incidentes registados na últma partida com o Belenenses SAD. "Não sinto que esteja a ser perseguido. Quando somos jogadores é que pensamos isso dos treinadores. Tenho mais visibilidade porque estou no Sporting e sou um treinador sem nível para ser o técnico principal e isso cria-nos mais problemas. Às vezes custa-me entender... mas as coisas são assim. Se me instauraram um processo, o Sporting também me vai ajudar nessa parte. Há que aceitar", disse Rúben Amorim.

O certo é que o Sporting entra em 2021 na liderança da I Liga, embora o técnico se mostre consciente de que as dificuldades estarão sempre ao virar da esquina. "As equipas também nos estudam e nós temos dias mais inspirados do que outros. O empate em Famalicão foi, para mim, o nosso melhor jogo. Não se pode olhar só para o resultado, em Guimarães houve momentos em que perdemos um bocadinho o controlo. O que é importante é que temos ganho. Temos que olhar jogo a jogo. Há certos jogos que se tornam complicados, como foi o último no qual o relvado não ajudou muito. Neste jogo com o Braga estou sempre à espera de um grande jogo, acredito que a equipa vai estar bem, unida, vai trabalhar no máximo. Isso é a obrigação e é inegociável", frisou.

O Sporting de Braga tem-se debatido com alguns problemas devido à covid-19, algo que Rúben Amorim desvalorizou. "Nós fomos a equipa mais prejudicada com a covid-19, pois tivemos de ir para o Algarve e tivemos quatro jogos sem jogadores que estavam infetados. Fomos eliminados da Liga Europa e nunca ninguém nos ouviu dizer que fomos eliminados por causa disso. Não vou ser eu a dizer que o Braga está mais fraco por causa das baixas e estamos preparados para um adversário na máxima força", sublinhou, assumindo que vai reencontrar pessoas que o "marcaram".

"O Sp. Braga foi o clube que me deu a oportundiade e serei sempre grato por isso", disse, não rebatendo a ideia do seu homólogo Carlos Carvalhal sobre o facto de o Sporting chegar a este jogo com um calendário mais desanuviado por não estar na Liga Europa. "O Sporting de Braga tem mais quatro jogos que o Sporting. Isso é um facto. O que nos interessa é vencer o próximo jogo e não há mais nada a dizer sobre isso. O jogo com o Braga vale os mesmos pontos que o do Belenenses SAD. Somos capazes de vencer qualquer equipa. Somos capazes de vencer Benfica, FC Porto e Braga e somos capazes de perder com Portimonense, Boavista... Esta equipa é muito assim. Estando no máximo, somos capazes de vencer qualquer equipa", assumiu.

Rúben Amorim considera que para este jogo "o Sporting tem jogadores que podem fazer a diferença e o Braga também". No entanto, deixou um aviso: "O futebol é coletivo, embora um momento individual pode mudar o jogo. Penso que vai ser um bom jogo, mas o mais importante é que o Sporting vença."

A menor inspiração de Pedro Gonçalves e Nuno Santos nos últimos jogos não parece importunar o treinador do Sporting. "Às vezes procuramos razões... mas é algo que parte do jogo. Tento não procurar razões para isso. O Pote tem jogado muito bem. Fez um início de época tão bom que não é normal para nenhum jogador, colocou a fasquia tão alta que agora tem de encontrar o seu normal. O Nuno Santos tem feito um trabalho incrível pela equipa, mas no último jogo ficou de fora porque temos outros jogadores, como o Tabata, que lutam todos os dias por um lugar", explicou.

Com pouco mais de um ano de treinador de I Liga, Rúben Amorim admitiu que em 2020 teve "sorte" e "competência" para chegar onde chegou. "Há que pensar no amanhã. Como eu costumo dizer, o futebol é o momento. Hoje podem pensar que a minha chegada foi um passo importante para o Sporting e amanhã depois do jogo mudarem de ideias", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG