PSG aponta a Rúben Amorim com Luís Campos a diretor desportivo

Nome do treinador do Sporting passou a ser uma das prioridades para substituir Mauricio Pochettino e foi aconselhado por outro português que vai mandar no futebol dos parisienses. Cláusula de rescisão de 30 milhões de euros não parece ser problema.

A revolução já está em marcha no Paris Saint-Germain e o novo projeto do milionário clube francês pode ter mais dois protagonistas portugueses em lugares de decisão: Luís Campos como diretor desportivo e Rúben Amorim como treinador. O anúncio do primeiro pode estar para breve, até porque o brasileiro Leonardo foi destituído do cargo. Quanto ao técnico do Sporting, qualquer desfecho não será para já, dado que Mauricio Pochettino mantém-se como técnico e há ainda uma sombra que dá pelo nome de Zinedine Zidane.

A notícia do interesse do PSG em Rúben Amorim, 37 anos, foi avançada ontem pelo jornal Le Parisien, e rapidamente teve em eco nos media franceses e portugueses. De acordo com o Le Parisien, o nome do treinador do Sporting foi indicado aos donos do clube por Luís Campos, que em breve irá iniciar funções como homem forte do futebol dos parisienses, e que vê em Amorim o perfil do treinador que o PSG precisa: jovem, ambicioso e sem medo de apostar em jovens.

Segundo o Le Parisien, o nome de Amorim ganhou força porque Zinedine Zidane terá recusado. Há, porém, outros meios franceses que continuam a garantir que o antigo internacional francês é mesmo a prioridade do PSG, e que o clube vai tentar um último forcing para garantir o treinador que no Real Madrid ganhou três Champions

Luís Campos, mesmo sem estar ainda em funções de forma oficial, já terá estado na origem de uma das grandes notícias do PSG nos últimos tempos: a renovação de Mbappé, anunciada sábado e oficializada ontem. Isto porque o dirigente português é muito próximo do craque francês e da sua família, uma relação que vem desde os tempos em que coincidiram no Mónaco. Questionado ontem sobre o diretor desportivo na oficialização da renovação de Mbappé, o dono do PSG aproveitou um lapso do jornalista (no primeiro nome) para fugir à pergunta: "Jorge Campos? Não conheço. É um ator?"

O diretor português, que em França foi um dos mentores dos projetos que levaram o Mónaco (2016-17) e o Lille (2020-21) a serem campeões frente ao poderoso Paris Saint-Germain, considera que Rúben Amorim é o técnico ideal para o clube. Tal como há uns anos elegeu Leonardo Jardim para treinar o Mónaco. E com sucesso.

"Cada projeto exige um treinador especial, mas o projeto tem que ser sempre do clube e nunca do treinador. O treinador é uma peça fundamental em qualquer clube e é uma área onde é necessário perder imenso tempo para encontrar a peça certa. O que não se pode fazer é trazer um treinador e só depois é que se pensa o projeto", disse no ano passado numa entrevista. Campos, refira-se, encerrou recentemente a sua colaboração com o Galatasaray, da Turquia, onde desempenhava funções de gestor do futebol.

Uma cláusula de 30 milhões

A possível contratação de Rúben Amorim ao Sporting tem, contudo, um pequeno entrave. O treinador tem contrato com o Sporting até 2024 e uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros. Mas o dinheiro, à partida, não será um entrave para o milionário clube francês propriedade do qatari Nasser Al-Ghanim Khelaïfi. Ou seja, caso seja esta a intenção de Rúben Amorim e os franceses batam os 30 milhões, nada pode impedir o português de se mudar para Paris.

A concretizar-se esta operação, Rúben Amorim iria orientar uma verdadeira constelação de craques. Além dos portugueses Danilo e Nuno Mendes (o PSG vai acionar a cláusula e pagar aos leões 40 milhões de euros), teria a oportunidade de treinar provavelmente um dos melhores tridente do futebol mundial atual: Messi, Mbappé e Neymar.

Apesar de se ter sagrado campeão francês, o trabalho de Pochettino não agradou à direção do clube, muito pelo facto de o PSG (mais uma vez) continuar sem ter sucesso na Champions - esta época caiu nos oitavos de final, eliminado pelo Real Madrid. Mesmo no campeonato, as exibições não foram brilhantes, com o clube a terminar a Ligue 1 com quatro derrotas e oito empates. E algumas exibições para esquecer.

Se em relação a Amorim seria a segunda vez que o clube teria um português como treinador (depois de Artur Jorge), também na função de diretor desportivo não seria inédito. Entre 2017 e 2019, Antero Henrique desempenhou esse cargo, e foi na sua gerência que o clube contratou Neymar por 222 milhões de euros (ainda hoje a maior transferência do futebol mundial). Refira-se como curiosidade que Rúben Amorim é cunhado de... Antero Henrique, que de acordo com a imprensa francesa também terá sido consultado acerca do técnico português.também

nuno.fernandes@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG