O recital de Portugal rumo aos quartos de final do Europeu Sub-21

Seleção nacional bateu esta quarta-feira a congénere suíça, por 3-0, com golos de Diogo Queirós, Francisco Trincão e Francisco Conceição - o mais jovem de sempre a marcar num europeu. Próximo adversário é a Itália, no dia 31 de maio. Rui Jorge não poupou elogios aos jogadores.

Três jogos, três vitórias, seis golos marcados e zero sofridos em sete dias. Foi com este registo 100% vencedor que a seleção nacional de Sub-21 se apurou para os quartos de final do Europeu. Esta quarta-feira, Portugal venceu a Suíça, por 3-0, com golos de Diogo Queirós, Francisco Trincão e Francisco Conceição, e confirmou a passagem à segunda fase da prova. Nos quartos, Portugal mede forças com a Itália, no dia 31 de maio.

"Estou muito satisfeito pelo que conseguimos fazer. Os jogadores estão de parabéns e deixaram uma belíssima imagem (...) O recital que viram de fora eu vi também do banco. É um deleite vê-los jogar daquela forma e deve-se à qualidade individual, quando conseguem em poucos espaços jogar tão simples coletivamente e com tanta segurança. O treinador só tem de desfrutar do que está a ver e foi o que fiz, tal como os portuguese. Tivemos momentos muito, muito bons", elogiou Rui Jorge no final do encontro.

Finalista vencido em 1994 e 2015 e ausente da edição de 2019, Portugal procura o primeiro título da categoria. A chamada seleção de esperanças é mesmo a única seleção que ainda não conquistou qualquer troféu e isso diz bem da ambição que reina na seleção nacional neste inusitado europeu jogado em duas fases.

Nas nove participações anteriores, nem Nelo Vingada e a chamada "geração de ouro" com Figo, Rui Costa João Pinto, Paulo Sousa ou Fernando Couto logrou erguer o troféu. Na final de 1994, a Itália de Toldo, Cannavaro e Pippo Inzaghi levou a melhor no prolongamento. Figo acabou eleito o melhor jogador do torneio, tal como sucedeu a William Carvalho em 2015, ano em que Portugal voltou à final e perdeu com a Suécia, já sob o leme de Rui Jorge. Agora , tanto o técnico como Portugal têm nova oportunidade e a jogar como o fez na fase de grupos é claro candidato ao título.

A equipa nacional não se ficou pela condição de favorita que sempre a acompanha na competição e empenhou-se em mostrar que é uma equipa sólida, compacta e com talento para dar e vender. Portugal não sofreu qualquer golo e somou três triunfos nos três jogos do grupo D e frente a adversários de respeito. Primeiro a Croácia (1-0), depois a Inglaterra (2-0) e por fim a Suíça (3-0).

No dia 31 de maio, a equipa nacional vai medir forças com a Itália, segunda colocada do Grupo B, atrás da Espanha, nos quartos (31 de maio). "Não posso descrever, não vi jogo nenhum da Itália. Nem na qualificação nem neste torneio. Não faço a mínima ideia do que aí vem", atirou o selecionador Sub-21.

Uma coisa é certa. As esperanças tem um estatuto a defender e um conjunto de jogadores que empolga. Com uma das gerações mais experientes em ação e muito virada para 1999, com alguns campeões europeus de sub-17, em 2016, e de sub-19, em 2018, Rui Jorge apostou ainda em jogadores com bastante rodagem como Tiago Tomás e Pedro Gonçalves (Sporting) ou Francisco Trincão (Barcelona) e Diogo Dalot (AC Milan).

Golo do benjamim Conceição quebrou recorde com 19 anos

Ontem, frente aos helvéticos, que defrontou por 15 ocasiões no escalão de esperanças, somando 10 vitórias, três empates e duas derrotas, Portugal só precisava de um empate para garantir um lugar nos quartos de final. Fiéis à filosofia de jogo do selecionador, que nunca compra empates, os sub-21 chegaram ao golo bem cedo. Aos três minutos o capitão Diogo Queirós teve cabeça para adiantar a seleção portuguesa no marcador.

Com Daniel Bragança a titular num onze com oito jogadores lançados no FC Porto pro Sérgi o Conceição, ortugal ganhou balanço a meio campo para desequilibrar no ataque. Foi assim que aos 60 minutos a bola chegou a Tiago Tomás e este serviu Francisco Trincão para o golo da tranquilidade se o cenário já era bom, melhor ficou quando cinco minutos depois o recém entrado Francisco Conceição aproveitou um erro enorme da defesa suíça para fazer o terceiro.

O benjamim do grupo português estreou-se a marcar pela seleção de esperanças, sendo mesmo o mais jovem de sempre a marcar um golo por Portugal num Campeonato da Europa Sub-21, batendo um recorde que já tinha 19 anos. Com 18 anos e três meses, o jovem dragão bateu o recorde de precocidade de Hugo Viana, que em 2002 fez um golo no triunfo sobre a Inglaterra (3-1) quando tinha 19 anos e quatro meses.

A expulsão de Miro Muheim, aos 72 minutos, na sequência de dois cartões amarelos em dois minutos, era sinal do desnorte suíço que favorecia um desfecho tranquilo para o conjunto de Rui Jorge, que vai acalentando esperanças num inédito título.

Pela primeira vez com 16 equipas, o novo Campeonato da Europa de Sub-21 realiza-se em duas fases distintas. A primeira decorreu até ontem. Agora, os dois primeiros colocados de cada um dos quatro grupos apuraram-se para os quartos de final (meias-finais e final), que se jogam de 31 de maio a 6 de junho, na Hungria e Eslovénia.

Para além do Portugal-Itália, nos quartos de final há duelos entre a Espanha e a Croácia, a Dinamarca e a Alemanha e os Países Baixos e a França. Se a seleção nacional vencer os italianos irá depois defrontar o vencedor do duelo entre a Espanha e a Croácia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG