Pesadelo nipónico perseguiu Alemanha até ao fim

Alemães venceram a Costa Rica (4-2), mas foram eliminados com o triunfo do Japão sobre a Espanha. Jogo arbitrado pela lusodescendente Stéphanie Frappart.

Pelo segundo Mundial consecutivo, a Alemanha foi eliminada na fase de grupos. De nada valeu aos alemães o triunfo sobre a Costa Rica (4-2) na terceira e última jornada do grupo E, naquele que foi o primeiro jogo arbitrado por uma mulher, a luso-francesa Stéphanie Frappart, num mundial. A seleção germânica foi mais uma vez tramada por um triunfo do Japão, desta vez pela Espanha.

A Alemanha estava em apuros e sabia disso. Entrou no jogo a precisar de ganhar e a saber que teria pela frente uma seleção conhecida pela organização em bloco baixo, o que, em teoria, faria antever dificuldades acrescidas para chegarem ao golo. O golo germânico até surgiu cedo, por Sèrge Gnabry, aos 10 minutos, depois de uma entrada fulgurante da Mannschaft no jogo. E Musiala e Gnabry podiam ter ampliado o marcador logo depois.

Com mais de 80 minutos para jogar, a Costa Rica avisou que não ia desistir de marcar o primeiro golo na competição e atrapalhar as contas do grupo. E ainda antes do intervalo, Keysher Fuller deixou um sério aviso a Neuer, que se tornou o guarda-redes com mais jogos em Mundiais (19) e a Costa Rica foi descansar com a sensação de que podia chegar ao empate. E conseguiu-o aos 58 minutos, quando Tejeda apareceu no sítio certo a fazer o 1-1 numa recarga.

O golo fez esmorecer os alemães e Musiala (talvez o melhor alemão deste Mundial, apesar dos 19 anos) viu a esperança de uma rápida recuperação esbarrar no poste da baliza de Navas, antes de Juan Pablo Vargas entrar no jogo para colocar a Costa Rica em vantagem e fazer tremer a Espanha no outro jogo.

Se a Alemanha precisa de um triunfo espanhol e não teve, a seleção do país vizinho bem pode agradecer mais uma reviravolta no encontro a favor dos alemães por obra e graça de Kai Havertz. O bis do jogador do Chelsea (entrou aos 66 minutos e marcou aos 73" e 85") mostrou como Hansi Flick se equivocou nas escolhas - apostando nos veteranos Muller e Leroy Sané - e catapultou a Alemanha para um triunfo inglório. Havertz ainda esteve perto do hat-trick, mas foi Füllkrug (outro avançado suplente) a fazer o 4-2 aos 89 minutos.

Para a história fica a segunda eliminação precoce seguida da tetracampeã mundial. "Que embaraçoso! Estamos fora!", escreveu o jornal Bild, enquanto o Welt fez manchete com o título "Desastre alemão." Já o Der Spiegel foi mais brando a noticiar o adeus ao Qatar 2022: "Apesar do 4-2 sobre a Costa Rica, Alemanha falha novamente na fase de grupos."

0-1 Sèrge Gnabry (Alemanha)

1-1 Tejeda (Costa Rica)

2-1 Juan Pablo Vargas (Costa Rica)

2-2 Kai Havertz (Alemanha)

2-3 Kai Havertz (Alemanha) e 2-4 Füllkrug (Alemanha)

VEJA AQUI A ESTATÍSTICA DO JOGO.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG