Acusação de abusos sexuais é "enorme mal-entendido", diz Peng Shuai

No início de novembro, a tenista acusou o ex-vice-primeiro-ministro chinês Zhang Gaoli de a ter forçado a ter relações sexuais, durante um relacionamento que durou vários anos.

A tenista chinesa Peng Shuai disse que a preocupação internacional com o seu bem-estar parte de "um enorme mal-entendido" e negou ter acusado o ex-vice-primeiro-ministro chinês Zhang Gaoli de abusos sexuais.

"Agressão sexual? Eu nunca disse que alguém me fez submeter a uma agressão sexual", disse a tenista, numa entrevista publicada pelo jornal desportivo francês L'Equipe no domingo à noite.

No início de novembro, numa publicação na rede social chinesa Weibo, a antiga campeã de pares em Roland Garros acusou Zhang Gaoli de a ter forçado a ter relações sexuais, durante um relacionamento que durou vários anos.

"Esta publicação resultou num enorme mal-entendido por parte do mundo exterior", disse Peng Shuai. "O meu desejo é que o significado desta publicação não continue a ser distorcido."

As acusações da tenista, de 36 anos, rapidamente desapareceram, com a Weibo a censurar posteriormente qualquer referência ao caso.

Questionada pelo L'Equipe, Peng Shuai disse que foi ela a apagar a publicação. "Porquê? Porque quis", acrescentou.

Na entrevista, a tenista não respondeu diretamente a uma pergunta sobre se a publicação teria ou não causado problemas com as autoridades chinesas.

"Emoções, desporto e política são três coisas claramente separadas", disse ao jornal. "Os meus problemas românticos, a minha vida privada, não devem ser misturados com desporto e política."

A publicação disse ter conversado com a tenista no sábado, num hotel de Pequim, numa entrevista de uma hora organizada pelo Comité Olímpico da China.

O L'Equipe acrescentou que as perguntas foram enviadas com antecedência e que um funcionário do Comité Olímpico local participou na conversa e traduziu os comentários de Peng a partir do chinês.

O jornal salientou que outra condição para a realização da entrevista foi a publicação da conversa na íntegra, em forma de pergunta e resposta.

Tenista garante nunca ter desaparecido

A tenista chinesa Peng Shuai garantiu que "nunca desapareceu", depois de acusar o ex-vice-primeiro-ministro chinês Zhang Gaoli de abusos sexuais, numa entrevista publicada pelo jornal desportivo francês L'Equipe no domingo à noite.

"Muita gente, tais como os meus amigos, incluindo do COI [Comité Olímpico Internacional] mandaram-me mensagens, e era quase impossível responder a tantas mensagens", disse Peng Shuai.

"Mas sempre mantive um contacto próximo com os meus amigos mais chegados, falei com eles, respondi aos seus e-mails e também falei com a WTA", o circuito feminino de ténis mundial, acrescentou a tenista, de 36 anos.

Peng Shuai confirmou ainda ter-se encontrado com o presidente do COI, Thomas Bach, no decorrer dos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022.

No "sábado, pudemos conversar muito e trocar opiniões agradavelmente", disse a tenista, que também anunciou o fim da carreira como profissional.

"Perguntou-me [Thomas Bach] se eu estava a pensar em voltar à competição, quais eram os meus planos, o que eu estava a ponderar", afirmou Peng Shuai, recebida por dois jornalistas do L'Equipe, num hotel localizado na bolha olímpica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG